Bruna Louise
Foto: Divulgação

Bruna Louise é a 1ª brasileira a estrear um especial de stand-up na Netflix: “Demolição”

1 Compartilhamentos
1
0
0
0
0

As mulheres da comédia no Brasil estão ganhando cada vez mais espaço, e isso só é possível graças a pessoas como Bruna Louise, uma das comediantes que pavimentou o caminho para novas gerações. Aos 37 anos, a artista estreia o show “Demolição” e se torna a primeira mulher brasileira a estrear um solo de stand-up especial e original na Netflix.

“Estamos quebrando tudo! Na verdade, o nome é ‘Demolição’ porque estamos quebrando um tabu já que sou a primeira mulher brasileira a ter um especial de uma hora na Netflix“, explica Bruna Louise sobre a razão do título em entrevista à GLMRM.

No especial, a comediante fala de questões profundas que trata na terapia. Para ela, o humor é a sua forma de lidar com as adversidades.

Bruna Louise
Foto: Reprodução/Instagram

“[No especial], falo de questões que tratei na terapia. Tive que conhecer o meu pai para lidar com algumas situações que criei na minha cabeça. Então, tem a demolição, claro, dos paradigmas, mas tem também uma reconstrução de algumas coisas e dentro de mim, sabe? Pode parecer muito sério, mas eu juro que é engraçado!”, enfatiza.

Especialista em extrair a alegria da tristeza, Bruna se inspirou na história da atriz Dercy Gonçalves, principalmente, após ler sua biografia. A estrela fisgou a atenção da comediante ao contar histórias hilárias, mas catastróficas.

“Eu a conheci na TV quando era criança! Já a achava muito engraçada, principalmente, por falar palavrão. Quando tinha uns 20 anos e cursava teatro, li a biografia dela… e daí eu fiquei doida! Fiquei impressionada com esse livro. Inclusive, li ele duas vezes, em dois momentos diferentes da minha vida. Fiquei doida com o fato dela contar uma história muito triste e mesmo assim, fazer a pessoa rir”, explica.

As inspirações por trás dos roteiros

Sentimentos intensos e posicionamentos políticos são outra fonte de humor de Bruna. Exemplo disso é o caso de Mariana Ferrer – a jovem que acusou empresários de estupro no Café de La Musique, em Jurerê Internacional, Santa Catarina, e foi humilhada por advogados durante audiência. A situação chegou a um ponto tão grave que, em março de 2022, foi sancionada a Lei Mari Ferrer, que pune agentes públicos causadores de sofrimento desnecessário à vítimas de violência sexual.

A comediante se sensibilizou tanto pela história de Mariana que, para poder voltar a dormir a noite, criou um roteiro sobre o caso. Entre gargalhadas, ensinou lições básicas e essenciais para a sociedade: a primeira delas é que “não é não”.

“A comédia exige muita verdade. Então, procuro sempre me manter muito ligada com o que eu realmente estou pensando, com o que eu realmente quero falar, porque é isso que cria identificação nas pessoas: a verdade”, afirma. “Não adianta falar o que as pessoas querem ouvir. Preciso falar o que realmente quero falar. Tanto que poderia já ter feito piada de vários assuntos que estavam em alta, e escolhi não fazer porque não era realmente o que estava me atingindo”.

O roteiro de “Demolição”, inclusive, tem um tema central e (mega!) especial inspirado na história pessoal de Bruna e seu pai. A comediante só o conheceu em 2021 após um pedido de sua psicóloga. No momento da entrevista, não pôde dar mais detalhes sobre o tema porque “queria que as pessoas assistissem ao stand-up” para descobrirem o que ela fala.

O talento e a fama

O talento de Bruna vem desde muito cedo. Quando ainda era uma criança, reunia grupo de amigos em seu condomínio para criar peças de teatro.

“Eu sempre gostei de fazer as pessoas rirem! Quando era criança, obrigava – e quando digo ‘obrigava’, falo sério! – as crianças do meu prédio a brincar de teatrinho comigo”, conta.

Com essa paixão pelo teatro, conquistou o sucesso e, hoje em dia, por exemplo, acumula mais de 4 milhões de seguidores no Instagram. Para alcançar esse lugar, enfrentou diversas barreiras no caminho por ser mulher.

“Nunca assimilei de verdade essa grande dificuldade [em ser mulher na comédia]. Sempre fui levando, sabe? Eu só queria que meu trabalho chegasse para mais gente. Então, eu distraía do fato de ser mulher; do fato de ser mais difícil; e de todas as dificuldades”, diz sobre a conquista de espaço.

Convidada por um olheiro da Netflix para estrear o especial em 2020, “Demolição” finalmente pode ser assistida na plataforma desde às 4h da madrugada desta quarta-feira (22).

Você também pode gostar