Nemo ao lado do dono, o presidente francês Emmanuel Macron || Créditos: Getty Images

Conheça o integrante mais popular do Palácio do Eliseu em Paris. E não é o presidente Macron…

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Nemo ao lado do dono, o presidente francês Emmanuel Macron || Créditos: Getty Images

Apelidado de “primeiro cão” pela imprensa francesa, o misto de labrador com griffon Nemo – “filho” de quatro patas que Brigitte e Emmanuel Macron adotaram logo que se estabeleceram no Palácio do Eliseu, para onde o político se mudou com a mulher depois que foi eleito presidente da França, em maio – goza de mais popularidade que os próprios donos ultimamente.

A prova disso é que o ex cão de rua é campeão de correspondências neste fim de ano, com admiradores de todos os cantos lhe enviando os mais variados tipos de presentes e mensagens. Entre os mimos mais comuns, alimentos especiais, devidamente analisados antes de serem consumidos por ele, além de ossinhos, brinquedos e coleiras.

Segundo um insider do Eliseu, Nemo gostou muito de uma pelúcia em forma de faisão que ganhou outro dia e da qual não larga em hipótese alguma. Para quem não sabe, o cachorro foi abandonado nas ruas de Paris no começo do ano e logo recolhido por um abrigo, até ser finalmente adotado pelo casal presidencial. A adaptação dele aconteceu aos poucos, comme il faut, com direito até a xixi na frente das câmeras durante uma coletiva de Macron. Hoje, garantem, ele se comporta como um verdadeiro lorde.

Apesar do pet ser o membro mais popular do clã Macron, Brigitte não fica muito atrás, uma vez que está sendo festejada como a nova “It girl” entre as francesas mais estilosas. Enquanto isso, o presidente continua fazendo de tudo para voltar a ostentar os altos índices de aprovação que tinha em suas primeiras semanas no cargo, que se evaporaram rapidamente,  porém sem muito sucesso até agora. (Por Anderson Antunes)

Você também pode gostar
Solidão Pandemia

Depois da tempestade

O restaurante que eu frequentava antes da pandemia reabriu. Esteve fechado por meses, e eu o tinha como…