Taís Araujo
Reprodução/Youtube

Taís Araújo ‘alertou’ Giovanna Ewbank sobre ataques racistas com filhos

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

Taís Araújo participou do podcast “Quem Pode, Pod”, de Giovanna Ewbank e Fernanda Paes Leme, e conversou com a mulher de Bruno Gagliasso sobre eventuais ataques racistas com seus filhos, Titi, de 9 anos, e Bless, de 7. O que a atriz não sabia é que, na mesma semana da gravação do episódio, as duas crianças, juntos com outra família de angolanos, seriam vítimas do crime em um restaurante de Portugal.

Na conversa, que foi ao ar nessa terça (02), Gio comentou de situações que a incomodaram no filme “Medida Provisória”, dirigido por Lázaro Ramos e com a atriz no elenco, sobre uma realidade distópica em que o governo persegue negros e os força a retornar para a África.

“Durante o filme, existem algumas falas que são racistas e tão naturalizadas e que no filme são faladas com uma leveza, como se fosse nada. Isso me incomodou de uma maneira…”, disse Gio.

Taís Araújo Giovana Ewbank Fernanda Paes Leme
Reprodução/Youtube

Taís, então, aproveitou a oportunidade para falar de sua experiência como mulher negra no Brasil. “Eu entendo você, Giovanna. Você não passou nada do que seus filhos passaram, passam e estão passando. Eu entendo total a sua revolta [em dizer que] ‘tem que ir para a porrada!”, afirmou.

“Só que a gente toma porrada desde sempre. Você dando porrada em outra pessoa branca é encarado de outra maneira que eu dando porrada numa pessoa branca! É o famoso: ‘vocês que são brancos que se entendam”, completou Taís.

O antropólogo Rodney William, doutor em ciências sociais pela Pontíficia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP), comentou o caso ao GLMRM. Ele disse que mulheres negras não têm a mesma reação ao racismo em comparação a uma branca porque, muitas vezes, podem ser criminalizadas por isso.

No vídeo que circulou nas redes sociais, Gio Ewbank aparecia enfrentando a mulher que fez comentários racistas com seus filhos e outra família negra, entre os quais, segundo relatos, “voltem para África”. Na gravação, a atriz chamava a mulher de “racista nojenta” e dizia que “tinha que tomar uma porrada”. Após o episódio, a mulher foi retirada do restaurante pela polícia.

Confira o episódio completo:

Você também pode gostar