||Créditos: Maurício Nahas/Revista J.P

Monique Alfradique mostra por que roubou a cena no horário nobre

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
||Créditos: Maurício Nahas/Revista J.P
||Créditos: Maurício Nahas/Revista J.P

Na pele da funkeira mais que ardente Tina, uma patricinha da zona sul que foi parar na favela, na novela das 9, Monique Alfradique revela seu lado comediante – e faz bonito. Aqui, ela posa para um ensaio igualmente caliente e mostra que ainda tem muito a oferecer

Por Kanucha Barbosa para a Revista J.P de março
Fotos Maurício Nahas
Styling Manoela Fiães
Beleza Lavoisier (CAPA MGT) 

Na novela “A Regra do Jogo”, o casal Tina e Rui, vivido por Monique Alfradique e Bruno Mazzeo, sai da zona sul do Rio de Janeiro por falta de dinheiro e vai parar num barraco no Morro da Macaca. Ela é uma patricinha e, quando se vê naquela situação, surta com o marido. De supetão, a trama ganha seu twist. Na favela, eles se separam, rola uma troca de casais – com os novos amigos do morro, Oziel (Fábio Lago) e Indira (Cris Vianna) –, um vaivém, e quando reatam, a coisa esquenta na cama. E é aí que Monique cai nas graças do público – e da J.P. Hilária, Tina se transforma numa funkeira fogosa e permite que a atriz explore sua veia cômica, que é deliciosa.

No meio artístico desde os 9 anos, nascida em Niterói, ela nunca tentou ter outro ganha-pão que não fosse esse. Começou no teatro de sua cidade, fez comerciais de TV, foi paquita da Xuxa – “nunca foi um sonho, mas eu sabia que estava dentro do mundo que queria fazer parte” – e viveu entre a câmera e o palco até chegar ao horário nobre. Aos 29, inquieta e do tipo que dispara a falar, Monique tem referências mil. Para interpretar Tina, conta que se inspirou na personagem de Cate Blanchett em “Blue Jasmine” (2013) – que também vai à falência e muda o estilo de vida –, filme de Woody Allen que rendeu um Oscar de melhor atriz a Cate.

Monique é esforçada, isso é incontestável. Quando entra na pele de uma personagem, mantém um caderninho e escreve obstinadamente: “Invento o signo, o perfume que usa, histórias da infância… Tento manter um diário, registrando todos os dias daquela pessoa”. É, inclusive, cheia de histórias ligadas a situações em que se meteu por conta dessa dedicação toda. Uma delas é de quando viveu a médica Érica, na novela “Cama de Gato”, em 2009. “Pedi a uma amiga obstetra para assistir a um parto. No meio da sala de cirurgia, entre um bisturi e outro, acabei desmaiando. Dei mais trabalho que a grávida”, relembra, às gargalhadas.

Como namora à distância o empresário Gabriel Sala, mora sozinha, na Barra, e quase nunca sai da atmosfera fictícia, nem quando tem tempo de sobra, já que é fissurada por séries e filmes gringos. Ama Jennifer Lawrence, Julianne Moore, Meryl Streep e Natalie Portman – esta última, com louvor: “Quando ela ganhou o Oscar de melhor atriz por ‘Cisne Negro’, de 2011, estava grávida, plena no papel, ou seja, no ápice da realização pessoal e profissional, aquilo me marcou imensamente”, conta. Já que Monique vê as coisas dessa forma, J.P quis saber se ela já está com vontade de casar e de ter filhos. “Na verdade, não quero casar, entrar na igreja e ter uma festa. Já casei tanto em novela, dá muito trabalho. E penso em ter filhos, sim, mas não é o momento. Ainda preciso ser mãe na ficção. A Tina é minha primeira personagem casada, então, vamos aguardar”, se diverte.

Curvilínea

No dia deste ensaio, o corpo de Monique impressionou a equipe inteira. Com pernas e braços torneados e cinturinha fina, ela vestiu o figurino lindamente, desde o longo de festa transparente com brilhos em lugares estratégicos, daqueles modelos que a gente vê em vitrines e se pergunta quem poderia segurá-los, ao body de tricô ou o top curtinho. A resposta para isso tudo é (mais uma vez) a dedicação. Recentemente, antes do Carnaval – Monique desfila para a Grande Rio há quatro anos –, ela fez uma dieta em que só comia proteína, com acompanhamento de uma endocrinologista, e intensificou os exercícios. Faz crossfit, boxe, corre e se empenha na academia. “Meço pouco mais de 1,60 metro, não sou longilínea e tenho hipotireoidismo, então pra mim não é tão fácil. Mas neste ano consegui uma barriga que eu nunca tive na vida”, diz.

A rede social, aliás, faz a atriz refletir: “Antes as pessoas viam uma foto minha na revista e podiam pensar: ‘Ah, essa saia não ficou boa nela, não’; hoje em dia escrevem diretamente pra mim pelo Instagram: ‘Olha, essa saia não caiu bem em você, não, Monique’. Os fãs são muito verdadeiros e, às vezes, até cruéis”. Fica chateada? “Não. Acho graça!” E, então, lembra de uma foto postada há algum tempo. “Mostrei os pés e todos começaram a comentar sobre os meus joanetes, marcar os amigos falando sobre isso. Eu poderia não postar aquilo, mas foi uma escolha minha e levei na esportiva.” Quando os cliques são feitos por paparazzi, a reação é a mesma. “É o ônus e o bônus da profissão, você tem de estar preparado. Mas, olha, quando isso para de acontecer com uma atriz é sinal que ela não está tão em evidência assim, né?”, se diverte. Por aqui, a gente tem certeza que este é o momento dela, já que Monique promete conquistar fãs – e cliques roubados – cada vez mais.

Confira a galeria com o ensaio completo e, logo abaixo, o making of. Play!

Você também pode gostar