Paulo Gustavo no set do filme || Créditos: Reprodução/ Instagram

Paulo Gustavo se defende: “Não ofendi Deus. Quem ofende são todos que, em nome dele, disseminam ódio”

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Paulo Gustavo no set do filme || Créditos: Reprodução/ Instagram

Em um intervalo nas filmagens de “Minha Vida em Marte”, novo longa de Monica Martelli, Paulo Gustavo aproveitou o set todo montado para um casamento e a presença de um “padre” – de mentirinha, claro – para fazer um manifesto.

“Casa eu e meu marido? Por que não pode? Não existe igreja no mundo… Quem escreveu essa Bíblia? Está desatualizado isso. Se Jesus Cristo fosse vivo hoje, estava no show de Pablo Vittar… Com certeza! Está todo mundo indo. Quem é que está mandando a gente pra cá? Eu, Pablo Vittar… Hoje em dia está nascendo um monte de bee, cheio de fluido. Quem está mandando os fluidos pra cá? Deus? Então por que não posso casar na Igreja? Tá errado. Casa logo eu, deixa de ser bobo, larga isso”.

O ator postou o desabafo nos bastidores em suas redes sociais. E está encarando haters indignados com a crítica à igreja católica. No entanto, Fernanda Gentil e uma turma de artistas deixaram marcado seu apoio nos comentários, de forma bem humorada, que é como Paulo conduz tudo, inclusive esse manifesto/ piada com fundo de verdade. Paulo casou com o dermatologista Thales Bretas em 2015, em uma cerimônia laica no Parque Lage, no Rio. Play para assistir aqui embaixo ao discurso no set!

Em tempo: Paulo Gustavo decidiu se pronunciar sobre os comentários de quem se sentiu ofendido com o video acima. Em outro post, ele fez questão de escrever o seguinte “textão”: “Meu vídeo sobre o casamento na Igreja foi a forma que eu encontrei, através do humor, de fazer uma reflexão sobre como vejo o mundo e determinadas questões. Fiz o vídeo num tom descontraído, divertido e sem ofender ninguém! Se Jesus fosse vivo hoje, de carne e osso, poderia sim estar no show do Pablo Vittar, tal como em qualquer outro show, de qualquer outro artista. Isso porque ele foi quem entendeu que todos eram iguais, merecedores do mesmo respeito, do mesmo amor, independente de condição, cor, ou gênero. Jesus fez revolução justamente por não ser preconceituoso e não concordar com os julgamentos daqueles que condenavam o próximo, o diferente. Jesus foi o que entendeu o amor em sua profundidade, e por essa visão de mundo, à frente de seu tempo, foi crucificado. Os comentários raivosos e preconceituosos só me fazem ter a certeza de que estou do lado certo da história, muito consciente dos meus posicionamentos e das coisas que acredito. Eu não ofendi Deus. Quem ofende Deus são todos que, em nome dele, cometem discriminação e disseminam ódio. Eu só tenho a agradecer a Deus porque ele sempre foi muito bom comigo, me dando saúde pra trabalhar, me deu honestidade para com a vida e para pagar todos os meus impostos corretamente, me deu generosidade pra ajudar meus amigos e sustentar minha família, me fez um ser humano solidário com os mais necessitados, me deu humor pra enxergar a vida com mais leveza e talento pra fazer o que eu faço, que é trazer alegria pra vida das pessoas! A pergunta que eu faço é: o que as pessoas que tanto destilam ódio nas redes sociais (na vida) fazem pelo próximo, pelo coletivo e fazem de suas próprias vidas? O ódio não soma, não acrescenta, não cria. Já o amor, esse sim, germina e se multiplica! E esse é o Deus que eu acredito e essas são as ideias que Jesus pregou e defendeu. Vocês acham mesmo que, com toda essa raiva, vocês estão seguindo os mandamentos de Deus? Peçam a Deus pra ajudar vocês a terem mais empatia, mais humor, mais leveza, e a serem mais humanos. Porque essa raiva toda só faz mal a vocês mesmos!”

Thales Bretas e Paulo Gustavo na celebração do casamento deles, em 2015 || Créditos: Reprodução
Você também pode gostar