Museu d’Orsay causa polêmica ao expor a prostituição na França

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
tamanho museu
Obra “Woman at the Champs-Élysées by Night” (1890-1891) de Louis Anquetin || Créditos: Divulgação

Pela primeira vez, um grande museu de arte recebe uma exposição que tem como tema a prostituição. Estamos falando da “Splendour and Misery: Pictures of Prostitution, 1850-1910”, em cartaz desde o dia 22 de setembro no Musée d’Orsay, em Paris, que explora o sexo por dinheiro através de obras criadas entre o anos 1850 até 1910 por grandes artistas.

Exemplos? “Olympiah”, de Manet (1863), e “L’absinthe”, de Degas (1875–1876), assim como nus de Van Gogh, mulheres devassas de Courbet cochilando nas margens do rio Sena e os bordéis pintados por Munch. As obras são exibidas atrás de cortinas fechadas e apenas maiores de 18 anos podem visitar a mostra.

* O que o d’Orsay não esperava era que a exposição causasse tanto rebuliço entre os franceses. No jornal “Le Monde“, o crítico de arte Harry Bellet disse que “o Musée d’Orsay está se tornando um cinema na década de 1970. Eles costumavam passar difíceis filmes em uma semana e pornografia na outra para maquiar suas perdas”, escreveu.

Já o crítico Philippe Dagen, do site “Independent“, pontuou: “Todo mundo sabe que os orçamentos culturais têm diminuído constantemente, mas é realmente necessário mostrar mulheres nuas em poses lascivas e homens nus expondo seus órgãos genitais?”. Independentemente da polêmica, vale conferir caso esteja em Paris.

“Splendour and Misery: Pictures of Prostitution, 1850-1910”
Em cartaz até 17 de janeiro de 2016 no Musée d´Orsay
depois segue para o museu Van Gogh, em Amsterdã
Musée d´Orsay – 1 Rue de la Légion d’Honneur, 75007 Paris

Você também pode gostar