Evento artsy no deserto, sem comida e abrigo, atrai turma de modettes

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Derek Blasberg com Alexia Niedzielski à esquerda e Poppy Delevingne lá atrás e registros do editor no evento Burning Man

O que é o que é: um evento de arte que acontece no meio do deserto e não oferece nada de comida ou abrigo? Trata-se do Burning Man, uma experiência cultural que acontece uma vez por ano, no deserto Black Rock, em Nevada, nos EUA. A cada edição ele atrai uma turma ótima de modettes. Esse ano tem Poppy Delevingne, socialite e irmã de Cara Delevingne, o editor de moda Derek Blasberg e Alexia Niedzielski, filha de Claudia Niedzielski e dona da revista de moda “System”.

O princípio do Burning Man é de que não existe espectador. Todo mundo que comparece vai produzir algum tipo de arte. E nada de comprar cachorro quente e refrigerante em stand. No estilo acampamento, os visitantes são obrigados a levar as suas próprias comidas, além dos seus abrigos. Assim, mais do que um mergulho artsy, o evento é um teste de sobrevivência. Legal, né?

O tema do Burning Man 2014 é Carvansary, uma ode às caravanas, método de transporte comum em desertos na época da Rota de Seda. Além de serem “lares ambulantes”, as caravanas serviam de stands de comércio. Em tempo: o evento Burning Man termina nesta segunda-feira. A edição começou no dia 25 de agosto, segunda-feira passada. Confira abaixo algumas das obras interativas que estão por lá.

 

“Tree of (Im)Permanence”, de Nick Geurts. A escultura em formato de árvore é um aglomerado de sinos que toca quando ativado por um piano instalado no tronco da escultura. À noite, a árvore acende quando é tocada. A ideia da obra é trazer uma experiência de integração física e emocional com os objetos a nossa volta.

“The Dreambox”, de Teddy Saunders. A obra é uma cabine de vídeo que permite que você grave um depoimento sobre as suas ambições em uma câmera HD. O resultado é transmitido para uma conta privada em um site só seu, criado para outras pessoas seguirem e apoiarem os seus sonhos de vida.

“Embrace”, da organização The Pier Group. A escultura de madeira é um centro espiritual para os visitantes contemplarem suas vidas.

 

“Return of the Racken”, do artista Tyler FuQua. A estrutura serve para guardar as bicicletas dos visitantes e, no centro dele, oferecer um espaço fresquinho para fugir do calor.

 

“BioTronEsis”, do artista Erik Dunn. A instalação é um casulo neon iluminado por “alienígenas”.

Você também pode gostar