Marcos Mion em cena com Deborah Secco: “Cresci no teatro”

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

 

Deborah Secco e Marcos Mion nos bastidores de “Mais Uma Vez Amor”

Marcos Mion vai voltar para sua grande paixão: o teatro. Longe dos palcos desde 2008, quando ficou em cartaz por dois anos com a peça “Mãos ao Alto, SP!”, o ator e apresentador estreia nesta sexta-feira o espetáculo “Mais Uma Vez Amor”, ao lado de Deborah Secco, no Teatro Abel, em Niterói, no Rio de Janeiro. Tamanho é o amor, que Mion faria até mesmo de graça: “Eu cresci no palco. Até eu pisar na TV, passei todos os dias da minha vida no palco. É o que eu amo”.

Por Denise Meira do Amaral

Glamurama- Como foi que se deu esse retorno aos palcos?

Marcos Mion- Encontrei a Deborah em uma festa. A gente estava conversando sobre o novo filme dela, o “Boa Sorte”, e surgiu o papo de porque eu não estava mais atuando. Eu tinha deixado o teatro por causa das crianças, não queria ficar muito tempo longe deles. Disse que agora elas já estavam maiorzinhas, mas ninguém me chamava. Ou as pessoas acham que eu vou cobrar uma fortuna, ou que eu não tenho tempo. Mas eu faria até de graça, é o que eu amo fazer. Muitas pessoas esquecem que eu sou ator, as pessoa acham que eu sou só comunicador. Mas eu cresci no palco. Até eu pisar na TV, passei todos os dias da minha vida no palco. Quando o palco chama, não tem jeito. Você vai. Então a Deborah falou com o produtor, que falou com o diretor e deu certo.

Glamurama- Seu público de “Legendários” vai encontrar um Marcos Mion muito diferente em “Mais Uma Vez Amor”?

Marcos Mion- Com certeza. Eles vão ver uma coisa completamente diferente. Meu trabalho foi tirar o Marcos Mion e colocar o Rodrigo [personagem]. Até porque as pessoas não sabem, mas eu adoro fazer um drama. Eu coloquei uma carga dramática que não existia no personagem. A ideia é conduzir as pessoas por várias emoções.

Glamurama- Como foi contracenar com a Deborah?

Marcos Mion- Ela é uma aula. É como voltar para escola de teatro de novo. Ela é a melhor atriz deste país. Ela consegue colocar uma emoção muito intensa, seja para rir ou chorar. Ela é muito técnica, tem uma capacidade inacreditável. Se tem que descer uma lágrima pelo lado direito do rosto, ela consegue. Ela é como a Fernando Montenegro.

Glamurama- Conta um pouco sobre o seu início no teatro? Quantos anos você tinha?

Marcos Mion- Eu comecei com uns 14 anos. Foi o que me moldou a ser o que eu sou hoje. Nunca teria superado traumas e acontecimentos se não fosse o teatro. Ele me salvou e me inspirou. Eu comecei na Casa do Teatro, com a Lígia Cortez, filha do Raul Cortez, e depois fui para o Célia Helen. Lígia foi a primeira pessoa que me incentivou. Eu queria deixar o teatro porque meus pais eram médicos, eu achava que tinha que ser também. Tinha medo de morrer de fome (risos).

Glamurama- Você chegou a cursar filosofia, né?

Marcos Mion- Foi, mas fiz filosofia buscando ser um melhor ator.

Glamurama- A peça vai ser de 15 em 15 dias para você ficar mais perto dos seus filhos?

Marcos Mion- É, eu não consigo ficar longe da minha família. E também porque a Deborah tá gravando a novela [Boogie Oogie]. Eu não faço teatro há muito tempo por causa deles, nãos queria não ter um final de semana sem eles.

*

Escrita por Rosane Svartman, “Mais Uma Vez Amor” entra em cartaz em Niterói, depois segue pela principais cidades do país, entre elas Salvador e Fortaleza. A peça fala sobre os encontros e desencontros de Rodrigo e Lia, que não tem absolutamente nada em comum, a não ser o destino.

Você também pode gostar
Solidão Pandemia

Depois da tempestade

O restaurante que eu frequentava antes da pandemia reabriu. Esteve fechado por meses, e eu o tinha como…