Publicidade
Carlos Sainz
Foto: Reprodução/Instagram

Denominada por muitos de “A melhor corrida do ano”, o Grande Prêmio de Singapura não cairá no esquecimento tão cedo. Com pódio de Carlos Sainz, Lando Norris e Lewis Hamilton, o top 10 foi surpreendente em uma pista considerada travada e por muitos até “chata”, o que não teve foi tédio, com muitas ultrapassagens, batalhas de roda com roda, safety car e muita ação.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por FORMULA 1® (@f1)


O nome do dia foi Carlos Sainz, sem mais nem menos. Além de vencer a corrida ele ainda foi frio e calculista. Mirando na vitória e extremamente focado, conseguiu pensar em uma ótima estratégia nos momentos finais da corrida, garantindo que Lando Norris pudesse pegar o DRS para se defender de George Russell, da Mercedes, que vinha atrás e a todo custo queria tomar essa segunda posição do britânico da McLaren.

Uma corrida em que não se sabia o vencedor até cruzar a linha de chegada, os três primeiros colocados Sainz, Norris e Hamilton tinham uma diferença de um pouco mais de um segundo, de um para o outro. Essa foi a segunda vitória do piloto espanhol na Fórmula 1, em uma etapa em que as condições físicas e climáticas são altamente desgastantes, com desidratação e altas temperaturas.

Além de ter de se preocupar com tudo isso e manter um bom ritmo na pista durante a corrida, Sainz ainda teve a frieza necessária para fazer cálculos e pensar em táticas ao fim da corrida.

“Não precisei que a equipe sugerisse isso, conhecia mais ou menos o meu ritmo e do Lando, sabia o quanto é difícil ultrapassar aqui. Eu sabia que ele estava em uma situação difícil, eu sabia que se George e Lewis o ultrapassassem, eu provavelmente também seria carne morta, então precisava que ele aguentasse o máximo possível.”

 “Eu diminuí um pouco a velocidade para dar a ele o DRS na curva 7 para segurá-los e manter minha corrida sob controle. Não é fácil porque você está se colocando em risco e não pode cometer nenhum erro, mas foi minha estratégia e funcionou. Estou feliz que tenha acontecido”, contou o piloto da Scuderia Ferrari.

De fato, o heptacampeão Lewis Hamilton estava na cola do Norris e depois da batida de Russell na última volta, fez com que o britânico estivesse ainda mais perto do pódio, ele que estava a 0s4 de Lando Norris. A grande tática adquirida pelo piloto do dia foi a de controlar o seu ritmo e manter o pelotão que vinha atrás, próximo.

Carlando no Pódio

O nome vem da época em que Lando Norris e Carlos Sainz eram companheiros de equipe na McLaren e, pelo fato de serem tão amigos e próximos, veio o apelido que é a junção de ambos os nomes Carlos + Lando = Carlando. E como não amar essa dupla?

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por FORMULA 1® (@f1)

Uma cumplicidade que já vem de algum tempo e nunca será esquecida. O próprio Sainz tirou uma foto com o amigo, comemorando mais um pódio dos dois juntos, lembrando que o GP de Mônaco de 2021 foi o primeiro que dividiram o pódio, e agora juntos novamente.

Sainz ainda disse: “Acho que deveríamos comprar bebidas um para o outro. Ao dar-lhe DRS salvei seu P2 e ao defender tão bem como fez de Russell, ele me ajudou a conseguir o P1. Bons momentos do ‘Carlando’ lá e foi bom, honestamente, subir ao pódio com ele. Temos um ótimo relacionamento e foi bom também ver os caras da McLaren lá com a Ferrari, boa história.”

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por FORMULA 1® (@f1)

Destaques da corrida

Com tanto caos e mudanças, Max Verstappen terminou na quinta colocação, na frente de Gasly que foi sexto e Piastri sétimo, conquistando dez posições durante a corrida. Algo muito difícil de se conseguir em uma pista como essa de Marina Bay.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por FORMULA 1® (@f1)

Apesar de não ter vencido, Verstappen ainda é o primeiro colocado no campeonato, com uma bela folga de 374 pontos para 223 de seu companheiro de equipe, Sergio Perez, que terminou em oitavo e na frente de Liam Lawson, que foi muito elogiado por pontuar em sua terceira corrida na F1, além do fato de conseguir passar para o Q3 no treino classificatório, sendo o único piloto Red Bull a conseguir isso.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por FORMULA 1® (@f1)

Para fechar o top 10, Kevin Magnussen foi o décimo colocado, conseguindo um pontinho para a equipe Haas, que teve um bom final de semana em Singapura e conquistou um ponto muito precioso e necessário.

Coleção de Tênis de Albon

Nem só de F1 vivem os pilotos da principal categoria do automobilismo mundial. Nesse final de semana, Yuki Tsunoda e Fernando Alonso apareceram com o tênis da coleção de Albon e aprovaram o modelito.

100.000 km completos na F1 – Alonso

Assim foi a corrida de Fernando Alonso, que fez algo que poucos pilotos tiveram a oportunidade de fazer na categoria, completar 100 mil quilômetros na F1. Isso aconteceu depois da volta 20, durante a corrida em Singapura. Algo histórico.

Apesar de Alonso se manter à frente de Carlos Sainz e Charles Leclerc no campeonato com 170 pontos contra 142 e 123 pontos, no campeonato de construtores a Escuderia italiana possui 265 pontos como terceira colocada, enquanto a Aston Martin com 217 é a quarta colocada. A segunda colocada é a Mercedes e a primeira, Red Bull com 597 pontos.

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR

Dia 23 de Abril

Dia 23 de Abril

Hoje vamos com as noticias mais estilosas da primavera A França, esse querido país da moda e da...

Instagram

Twitter