The Wombats
Divulgação

The Wombats, banda indie do Lolla que viralizou no TikTok, analisa sucesso nas redes: ‘É sobre se conectar com pessoas’

10 Compartilhamentos
10
0
0
0
0

Quem quer entender o sucesso de uma faixa, banda ou artista hoje em dia, necessariamente tem que olhar para o TikTok. A rede social tem sido uma das grandes responsáveis por viralizar músicas – que o diga Anitta. Foi pelo aplicativo de vídeos que a banda indie The Wombats, formada no ano de 2003 em Liverpool, Inglaterra, ficou mais conhecida ao redor do mundo. O trio formado por Matthew Murphy, Tord Øverland Knudsen e Dan The Man, que toca nesta sexta (25) no Lollapalooza Brasil (às 15h35 no palco Onix), viu um remix da música “Geek Tragedy” alçar as paradas graças a um remix lançado anos depois virar mania no TikTok.

Em conversa exclusiva com o GLMRM, o baterista da banda, que vem pela segunda vez ao Brasil, comentou sobre o atual mercado musical e a influência das redes. Segundo Dan, há inúmeras vantagens em ter músicas como ‘Let’s Dance to Joy Division’ e ‘Greek Tragedy’ viralizadas pela internet.

“A gente está sempre correndo atrás da tecnologia e, como banda, soltamos música em qualquer que for o meio, seja CD, vinil, cassete, ou um vídeo de 12 segundos no TikTok que parece que explode”, conta. “Tudo é sobre se conectar com as pessoas ao redor do mundo. Com isso, torcemos para que os ouvintes descubram algo que façam eles sentirem, pensarem. Ou, porque não, questionarem algo que nunca tinham pensado antes? Se esse sentimento puder ser traduzido, que venham ao nossos shows para se divertir”.

Para o baterista dos Wombats, toda banda ou artista tem que abraçar as mídias sociais. “Não tem que lutar contra. Um dos lados positivos, por exemplo, é que podermos manter contato com os fãs muito rápido, não tem mais carta das fãs ficando perdida no correio. É mais em tempo real, podemos falar ‘ei, estamos fazendo isso, vem aqui’ ou ‘legal te conhecer’, ‘aqui está uma foto’, qualquer coisa. É uma maneira muito boa de se comunicar”, afirma.

Mais energia e coxinhas

Animado, Dan entrega suas expectativas para o show no festival. “Estamos muito empolgados de tocar no Lollapalooza. Estávamos esperando vir para cá durante boa parte da nossa carreira e estamos tendo uma experiência incrível na América do Sul. Estamos muito felizes de estar em São Paulo e vamos tocar uma mistura de músicas de todos nossos álbuns. Temos uma hora de show e vamos tocar com a maior energia que conseguimos.”

A vinda ao país certamente renderá muitas lembranças, mas segundo Dan, não o suficiente. Dan diz que ele e os companheiros adorariam visitar mais lugares e… comer mais coxinhas!

“Adoraria poder passar mais tempo aqui e explorar o país de verdade. Ir para a Amazônia, ver as praias. Tem tantas coisas, vi muitas fotos. É um país lindo, seria muito bom ter mais tempo, mas no momento estamos em São Paulo e bebemos umas ótimas caipirinhas, comemos uma comida encantadora. O que era aquela coisa “cônica”? Coxinha! Nossa, era maravilhosa e saborosa. Fomos em uma partida de futebol assistir o Palmeiras jogar no estado do Allianz, que foi uma experiência excelente, ver a paixão e energia dos torcedores. Tem o clima daqui que é diferente do lá de casa, uma merda”, brinca.

Foto: Tom Axley
Você também pode gostar