Mick Jagger
Divulgação

Mick Jagger feat. Grande Otelo? Sim, é verdade esse bilhete

1 Compartilhamentos
1
0
0
0
0

Um rock star vem ao Brasil gravar um videoclipe e acaba sequestrado por uma bela senhora que o escraviza durante o dia, ordenando que ele faça tarefas domésticas, e, durante a noite, o usa como seu escravo sexual. A sinopse chinfrim não poderia ser pior, mas rendeu talvez o feat. mais aleatório do showbiz: Mick Jagger e Grande Otelo. Nem todo mundo sabe, mas o encontro hilário e impagável aconteceu em 1984 e fez parte de um VHS promocional chamado “Running Out Of Luck”, criado para promover o primeiro álbum solo do vocalista dos Rolling Stones, “She’s The Boss”.

O encontro de Jagger e Otelo em cena de “Running Out Of Luck”. Divulgação

Dirigido pelo celebrado Julien Temple, conhecido por seus trabalhos com os Sex Pistols, a peça começou a ser produzida como um supervideoclipe, na esteira de “Thriller”, de Michael Jackson, mas acabou virando um longa-metragem com mais de 1h de duração rodado com a infraestrutura da Renato Aragão Produções, que já tinha todo o know-how em filmar aventuras cômicas devido aos enormes sucessos dos Trapalhões. Era o início da MTV, a indústria fonográfica estava investindo pesado no formato audiovisual e Jagger tentava se desvencilhar da imagem dos Stones depois do fracasso do disco “Undercover” (1983), além de aproveitar a oportunidade no Brasil para tirar férias da conturbada relação amor-e-ódio com Keith Richards, o guitarrista da banda.

Longe de ser uma obra-prima, o filme nunca chegou a ser lançado por aqui, mas a internet, graças, tratou de corrigir tal pecado e algumas cenas divertidíssimas estão disponíveis no YouTube, como a em que Jagger, em fuga, invade uma mercearia de beira de estrada para usar o telefone e tenta se comunicar com os donos do estabelecimento se identificando como “Mick Jaguêro”.

No elenco de “Running Out Of Luck”, além de Otelo, grandes nomes como Jerry Hall, à época esposa de Jagger, Dennis Hopper, Jim Broadbent, Tonico Pereira, Paulo Cesar Peréio, Tony Tornado e Norma Bengell – que faz o papel da boss que dá nome ao disco e coloca Jagger para ralar no campo e na cama.

Se não teve retorno comercial, a experiência foi ao menos frutífera, afinal, a passagem por terras brasileiras rendeu outros dois clipes: “Lucky in Love” e o hit “Just Another Night”, ambos rodados na sede do Fluminense. Na ocasião, aliás, Mick Jagger assistiu a um treino do Flu e, contrariando as expectativas, foi ao Maracanã torcer pelo clube na conquista do Carioca sobre o Flamengo, colocando em xeque a fama de “pé frio” atual do ícone dos Rolling Stones.

Você também pode gostar