Gilberto Braga
Foto: TV Globo/Marcio Nunes

Gilberto Braga morre aos 75 anos, no Rio. Idealizador de personagens inesquecíveis, vale relembrar os papéis que marcaram a obra do autor

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

Gilberto Braga é um dos principais autores da televisão brasileira e, nessa terça-feira, o Brasil se despediu desse talento da dramaturgia, aos 75 anos. O sobrinho do autor Bernardo Araújo disse ao “G1” que o tio estava internado desde sexta-feira no Hospital Copa Star, no Rio de Janeiro, e sofreu uma septicemia (condição potencialmente fatal que surge quando a resposta do corpo a uma infeção danifica os seus próprios tecidos e órgãos). Gilberto era casado há quase 50 anos com o decorador Edgar Moura Brasil e sempre foi discreto na vida pessoal.

O autor começou a carreira em 1972, aos 27 anos, e se tornou um dos principais novelistas da Globo após escrever tramas como: “Dancin’ Days” (1978), “Vale tudo” (1988) e “Celebridade” (2003). Em determinada entrevista à Globo, Gilberto revelou que a sua novela preferida, ao contrário do que todos pensam, não era ‘Vale tudo’. Sobre o assunto, ele respondeu: “De um modo geral, todo mundo prefere “Vale tudo”, mas eu, pessoalmente, gosto mais de “Celebridade”. Porque em “Vale tudo” eu ainda não tinha controle total, acho que todo mundo gosta de ter controle total sobre o que está fazendo”.

Para celebrar a vida e a obra de Gilberto Braga, separamos 6 personagens inesquecíveis do autor, dos mais antigos aos atuais.

Odete Roitman (Beatriz Segall) – “Vale Tudo”

Divulgação/ Tv Globo Bazilio Calazans

Da mesma novela, a personagem de Beatriz Segall era uma rica empresária que gostava de manipular a vida de quem estava em volta. Foi assassinada com três tiros na véspera do Natal e a trama parou o país com a pergunta: “Quem matou Odete Roitman?”. A ideia de fazer mistério sobre esse tipo de crime e só revelar o culpado nos últimos capítulos é repetida até hoje.

Julia de Souza Matos (Sonia Braga) – “Dancing Days”

Divulgação/TV Globo

A protagonista de “Dancin’ Days”, de 1978, interpretada por Sonia Braga, era uma ex-presidiária humilhada pela família que se envolveu com um milionário, ganhou um banho de loja na Europa e mostrou sua volta por cima dançando horrores na boate “Dancin’ Days”. A novela lançou muitas modas, como as meias de lurex

Maria Lúcia (Malu Mader) – “Anos Rebeldes”

Divulgação/Tv Globo

A mocinha de “Anos Rebeldes” [1992], papel de Malu Mader, viveu um romance com o personagem de Cassio Gabus Mendes, tendo o regime militar como pano de fundo. O rapaz era militante – assim como o pai dela -, o que dificultava o romance dos dois, principalmente quando ele decidiu entrar para a luta armada.

Bebel (Camila Pitanga) – “Paraíso Tropical”

Divulgação/TV Globo João Miguel Júnior

A prostituta interpretada por Camila Pitanga roubou a cena em “Paraíso Tropical” [2007]. Mesmo tendo fortes desvios de caráter, ela era alegre e foi a personagem mais querida da novela. Conquistou todo mundo com seu bordão “cueca maneira”, que dizia para seu affair, o grande vilão da história, Olavo [Wagner Moura].

Laura (Claudia Abreu)  – “Celebridade”

Divulgação/TV Globo João Miguel Júnior

Apesar de se fazer de boa moça e enganar muita gente, inclusive a mocinha da história, a Maria Clara Diniz (Malu Mader), a personagem Laura Prudente da Costa (Claudia Abreu) agradou o público com seu jeito divertido e desbocado na intimidade. Se na frente da rival ela mantinha o tom doce e bondoso, por trás, ela virava uma fera e se mostrava ardilosa e extremamente calculista.

Teresa (Fernanda Montenegro) – “Babilônia”

Divulgação/TV Globo

A personagem de Fernanda Montenegro em “Babilônia” [2015] viveu um relacionamento homossexual na maturidade, ao lado de Estela [Nathalia Timberg]. As duas deram um beijo logo no início da trama, que sofreu boicote de setores mais “tradicionais” e religiosos da sociedade. A novela teve a média de Ibope mais baixa da história do horário nobre da Globo, mas isso não diminui o trabalho de Fernanda e a importância do papel.

Você também pode gostar