Encanto
Divulgação/Disney/Pixar

“Encanto”, da Disney, lidera bilheterias nos Estados Unidos, “House of Gucci” tem boa estreia

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

A animação “Encanto“, da Disney, lidera as bilheterias norte-americanas depois do feriado de Ação de Graças. De acordo com dados publicados pela revista Variety, a fábula musical faturou 40,3 milhões de dólares desde a quarta-feira, dia 24 de novembro, quando estreou nos Estados Unidos. O desempenho é considerado robusto considerando-se que as famílias, público ao qual a animação é direcionada, ainda não estão à vontade para voltar aos cinemas devido à pandemia. De fato, “Encanto” teve a melhor bilheteria de uma animação durante toda a pandemia, segundo a Variety.

“Encanto” não foi o único filme a vender ingressos durante o feriado de Ação de Graças. “House of Gucci”, da MGM, faturou 14,2 milhões de dólares durante o final de semana e 21,8 milhões de dólares nos primeiros cinco dias desde o lançamento. O longa de Ridley Scott ganhou mais no seu primeiro final de semana nos cinemas do que outros filmes dirigidos ao público adulto durante toda sua exibição nos cinemas. Foi o caso de “King Richard” (11,3 milhões de dólares), de Will Smith; do drama medieval “O Último Duelo (10,8 milhões de dólares), outro título de Ridley Scott, e ainda do prequell de “Os Sopranos”, “The Many Saints of Newark” (7,6 milhões de dólares).

House of Gucci
Divulgação

“House of Gucci”, que teve orçamento de produção de 75 milhões de dólares, terá de contar com a bilheteria internacional para conseguir fazer lucro. Até agora, o filme faturou 12,8 milhões de dólares em 40 países, o que perfaz um total de 34 milhões de dólares considerando o mundo inteiro.

“Encanto” também foi um filme caro, custando ao estúdio mais de 120 milhões de dólares – isso antes de somar as pesadas taxas de marketing. No exterior, “Encanto” estreou em 47 mercados internacionais, acumulando 29,3 milhões de dólares.

Tanto “Encanto” como “House of Gucci” estão sendo exibidos exclusivamente nos cinemas, o que deve beneficiar os longas quanto à venda de ingressos, diferentemente do que aconteceu com outros títulos lançados durante a pandemia e que estrearam ao mesmo tempo em plataformas de streaming, o que prejudicou muito seu desempenho de bilheteria.

Você também pode gostar