Lázaro Ramos
Divulgação

Début de Lázaro Ramos como diretor enfrenta problemas com Ancine para chegar aos cinemas

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

Mais de dois anos após ter sua filmagem concluída, o longa “Medida Provisória” – début de Lázaro Ramos como diretor – finalmente terá sua primeira exibição no Brasil, no Festival do Rio, no dia 15 de dezembro. Mas, o que deveria ser uma notícia boa trata-se apenas de uma exibição pontual, já que o filme segue impossibilitado de ter seu lançamento no Brasil porquê está enfrentando problemas com a Agência Nacional do Cinema (Ancine). O longa conta com elenco de peso com nomes como Seu Jorge, Taís Araujo, Alfred Enoch, Adriana Esteves, Renata Sorrah, Mariana Xavier e Emicida.

Nesta segunda-feira (06.12), a assessoria do filme, Trigopress, publicou um comunicado em seu perfil do Instagram, alegando que, apesar dos inúmeros recursos submetidos por suas produtoras e coprodutoras à Ancine, para que ele seja liberado em circuito comercial, não obteve retorno desde novembro de 2020 – um ano antes de sua previsão inicial de estreia, que aconteceria no último mês de novembro.

“Ao longo de mais de um ano foram trocados com a agência dezenas de e-mails, checados o recebimento e andamento de protocolos, bem como foram realizadas consultas processuais. Especificamente no dia 21/10/2021, a pouco mais de um mês da previsão de estreia inicial, foi ainda enviada uma carta com questionamento formal à ANCINE, via protocolo e copiando setores envolvidos nesta análise. O recebimento desta comunicação foi confirmado, mas não houve manifestação por partes de outros setores. Logo, mediante a não análise destes pedidos, comunicamos que o filme segue sem previsão de lançamento no Brasil”, diz a nota.

Em abril deste ano, o longa esteve envolvido em outra polêmica, quando Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares, fez duras críticas ao filme, pedindo boicote à produção. “O filme, bancado com recursos públicos, acusa o governo Bolsonaro de crime de racismo — deportar todos os cidadãos negros para a África por Medida Provisória. Temos o dever moral de boicotá-lo nos cinemas. É pura lacração vitimista e ataque difamatório contra o nosso presidente”, protestou Camargo, em seu perfil, nas redes sociais.

Adaptação

“Medida Provisória”, baseado na obra teatral de Aldri Anunciação, é situado em um futuro distópico, no qual o governo emite uma medida provisória obrigando os negros do País a retornarem à África. Protagonizado por Alfred Enoch, famoso por participar em filmes como “Harry Potter” e “How to Get Away With Murder”, o longa ainda conta com Taís Araújo e Seu Jorge, que vivem, respectivamente, um advogado, uma médica e um jornalista.

Os personagens se rebelam contra a ordem do governo e se isolam em um apartamento, onde começam a discutir temáticas sociais. A obra já passou por dezenas de festivais internacionais, acumulando críticas positivas e inúmeros prêmios.

Divulgação
Você também pode gostar