Publicidade
Pablo, o criador da sofrência, chega à Bahia para puxar o trio Tô Ligado || Crédito: Divulgação
Pablo, o criador da sofrência, chega à Bahia para puxar o trio Tô Ligado || Crédito: Divulgação
Pablo, o rei da sofrência, vai puxar o trio Tô Ligado no Carnaval de Salvador || Crédito: Divulgação

Quem ainda não ouviu falar em sofrência, prepare-se, porque depois deste Carnaval, o termo tem tudo para virar um dos mais pops no Brasil, e o motivo atende pelo nome de Pablo. Percussor do arrocha, ritmo derivado da seresta, Pablo já tem mais de 15 anos de carreira, mas nos últimos tempos tem vivido uma verdadeira maré de sucesso por causa do hit “Porque Homem não Chora”, que já acumula quase 14 milhões de visualizações no YouTube. A música conta a história de um homem que é abandonado pela companheira e não tem vergonha de dizer que sofre por isso, mas apesar de parecer um expert no quesito dor de cotovelo, ao contrário do que muita gente pensa, Pablo diz que na verdade – pasmem – nunca sofreu por amor! Um dos grandes nomes da festa em Salvador, onde vai comandar pela primeira vez o trio elétrico Tô Ligado, que desfila no circuito Barra-Ondina nesta sexta, Pablo conversou com o Glamurama sobre sua expectativa para o Carnaval 2015 e falou mais sobre a sofrência. Se liga!

(Por Maria Gabriela Lyra)

Glamurama  – O que acha desse fenômeno da sofrência?

Pablo – A sofrência embalou o Brasil. É o novo estilo do momento, dentro do arrocha, e eu fico feliz em saber que mais uma criação do povo está na boca do país inteiro.

Glamurama – Este ano temos você e Anitta, por exemplo, puxando trios. Você acha que o Carnaval baiano está mais democrático?

Pablo – O Carnaval é uma mistura. O Brasil tem uma miscigenação musical e cultural incrível. O axé abriu as portas para outros gêneros e hoje o Carnaval de Salvador é essa mistura linda de se ver. Arrocha, axé, pagode, samba, sertanejo, funk…

Glamurama – Já se aventurou em algum ritmo antes de do arrocha?

Pablo – Não. Sempre cantei arrocha, que por sua vez veio da seresta. [O ritmo] nasceu através de uma expressão com o mesmo nome que eu falava na seresta para os casais dançarem agarradinhos.

Glamurama – Todo homem chora?

Pablo – Todo homem chora. Não tem isso de que homem não chora. Homem chora, sim.

Glamurama – E Pablo, chora?

Pablo – Eu nunca chorei por amor. Casei com 15 anos, então nunca tive outra namorada. Os outros casos foram coisa de criança. Amor mesmo, eu só tive ou só senti com minha esposa. Claro que a gente também se desentende e briga, é normal. Todo casal faz isso.

Glamurama – E afinal, o que é sofrência para você?

Pablo – Sofrência é tudo pra mim. É uma saudade da pessoa amada. É aquele amor perdido. Amor sofrido. É um filme que te faz lembrar alguém. Sofrência é um sofrimento e uma carência.

Ainda não sabe o que a sofrência? Confira aqui a música “Porque Homem não Chora”, de Pablo.

 

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR

Dia 17 de Abril

Dia 17 de Abril

3 boutiques de streetwear para descobrir em Paris Embora Paris seja conhecida por suas prestigiosas boutiques de luxo,...

Instagram

Twitter