Sophia está de volta em Malhação e se reafirma como influenciadora digital e apresentadora / Crédito: Instagram

Sophia Abrahão conta como foi voltar para ‘Malhação’ depois de 12 anos: “É esquisito! Interpreto eu mesma”

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Sophia está de volta à ‘Malhação’ / Crédito: Instagram

Sophia Abrahão não tem mais medo de mostrar quem é para os seus milhões de seguidores. E faz bem! Forte e cheia de opinião, a atriz, apresentadora, cantora e influenciadora digital deixou de se esconder atrás da máscara de menina certinha para expor ao mundo. “Comecei a me expor, a mostrar mais meu jeito e entendi que exposição não é algo negativo. Claro que não faço da minha vida um reality show, mas tento passar quem sou de verdade. E eu gosto de me divertir, tenho senso de humor, sou engraçada”, conta. Aos 28 anos, Sophia tem 5 milhões de seguidoresno Instagram e criou seu próprio Clube do Livro, além de tratar de assuntos delicados em seu podcast.

Mas Sophia não deixa a carreira de atriz de lado. Ela está fazendo uma participação em ‘Malhação’, justamente onde tudo começou em 2007. “Voltar para a ‘Malhação’ é algo nostálgico pra mim. Eu vejo a dinâmica dos jovens atores e lembro que eu era exatamente daquele jeito. Nunca pensei que voltaria, principalmente ocupando o lugar de veterana”. Agora mais madura e segura de si, Sophia interpreta ela mesma na novelinha da Globo, comandando um programa musical fictício. “Relembrei a minha época de ‘Video Show’, que foi tão especial. Me senti em casa de novo”. A seguir, confira a nossa entrevista com Sophia, sem filtros!

Glamurama: Você começou a carreira em ‘Malhação’ (2007). O que mudou após esse primeiro trabalho?
Sophia Abrahão: Sou outro ser humano depois de ‘Malhação’. Uma das minhas maiores características naquela época era a insegurança, mas foi uma reação normal, afinal era meu primeiro trabalho como atriz. Um de meus pensamentos mais frequentes na época era acreditar que, depois desse trabalho, a minha vida ia parar e se tornar uma catástrofe, que nunca mais trabalharia como atriz. Depois, quando tudo foi se encaminhando, vi que existe 1 milhão de possibilidades diferentes dentro da minha profissão. Sem contar que, tudo o que construí até agora, é algo muito sólido. E a partir do momento que consegui ter mais segurança, passei a trabalhar muito melhor, sem pressão. Consegui colocar a minha alma na carreira.

G: Depois de mais de 10 anos, você está de volta. Qual é a sensação?
SA: É esquisito. Voltar para a ‘Malhação’ é algo nostálgico pra mim. Vejo a dinâmica dos jovens atores e lembro que eu era exatamente daquele jeito. Nunca pensei que voltaria, principalmente ocupando o lugar de veterana. Claro que na novela existem atores mais velhos e mais experientes do que eu, mas é como me sinto.

G: E você está voltando bem mais madura, com 28 anos agora…
SA: Sim, agora dou dicas para o elenco mais jovem. Na verdade, eles sempre me perguntam sobre a profissão, e é uma troca bem bacana. Estou adorando essa fase.

G: Pode nos adiantar um pouco sobre a sua personagem?
SA: Vou interpretar eu mesma e achei muito legal quando me apresentaram essa ideia. Estou adorando. Embora não pareça é um grande desafio, um novo passo. A parte boa é que tive muita liberdade na escolha do figurino, do texto e qualquer coisa que eu não me sentisse à vontade, poderia falar com os diretores. Vou ser a apresentadora de um programa musical, estilo ‘The Voice’, onde as atrizes principais vão se enfrentar no palco. Foi muito divertido!

G: É mais fácil ou mais difícil interpretar você mesma?
SA: É algo que precisa de cuidado. Quando comecei a gravar, entrei num trabalho de maluco, porque comecei a fazer uma análise comportamental: ‘Será que é assim que eu me mexo? É desse jeito mesmo que eu falo?’. Mas depois que você relaxa e lembra que só precisa ser você mesma, melhora. Se eu continuasse nessa análise, não conseguiria mandar bem como gostaria. É claro que, de certa forma, estou atuando, só que de uma maneira mais sutil. Quando se trata de um personagem fictício e longe da sua realidade, você cria. Quando interpreta você mesmo, tem que se soltar, ser natural. Não sei se é mais fácil ou mais difícil. Acho ambos complexos.

G: Além de atuar, você também é apresentadora, cantora e influenciadora digital. Com qual dessas Sofias você se identifica mais?
SA: Eu gosto muito de apresentar, até por isso gostei tanto dessa participação em ‘Malhação’. O programa, apesar de ser algo para a novela, foi gravado como uma estrutura muito real e quando me vi ali, fiquei muito feliz. Relembrei a minha época de ‘Video Show’, que foi tão especial. Me senti em casa de novo.

https://www.instagram.com/p/BoM2w-jj710/

G: Você também faz cinema e esteve em produções recentes. Existe algum diretor, brasileiro ou internacional, com quem você sonha em trabalhar?
SA: Adoro o Fernando Meirelles. Na verdade, acho o cinema brasileiro muito rico porque conseguimos fazer tanto o cinema comercial, que passa nas grandes salas, como o cinema arte, que vai a grandes festivais, como ‘Bacurau’. Daqui a pouco vamos ganhar um Oscar, espero. Sobre o cinema internacional, sempre gostei demais do Tarantino. É claro que todo mundo gostaria de trabalhar com ele, mas é um dos meus diretores preferidos mesmo.

G: Você tem mais de 5 milhões de seguidores nas redes sociais. Como lida com isso?
SA: As redes sociais, hoje em dia, se tornaram um trabalho e por isso eu tomo muito cuidado, mas sem me esconder. Antes eu me protegia atrás da imagem de menina certinha. E não sou assim na vida real, ninguém é. Então comecei a me expor mais, a mostrar meu jeito e entendi que exposição não é algo negativo. Claro que não faço da minha vida um reality show, mas tento passar quem sou de verdade. E gosto de me divertir, tenho senso de humor, sou engraçada.

https://www.instagram.com/p/B0W5LqnD41e/

G: Usa seu poder de influencer para que fim? O que procura passar para seus seguidores?
SA: Isso sempre foi um ponto de interrogação na minha cabeça. Comecei falando de moda e depois sobre comportamento, mas sentia que ainda faltava algo. Era como se uma lacuna precisasse ser preenchida, então criei o Clube do Livro para incentivar a leitura e também o trabalho das editoras, que estão perdendo espaço hoje em dia por causa da internet.

https://www.instagram.com/p/B0wopHLDOQU/

G: E como funciona o Clube do Livro?
SA: É um projeto sem fins lucrativos, claro. Todo mês, junto com os seguidores, escolhemos um livro e, ao longo das semanas, conversamos um pouco sobre os assuntos que ele apresenta. No fim do mês, faço uma ‘live’ para debater o livro e colocar os seguidores em contato. É uma forma de interação e senti um feedback super positivo. Já lemos cinco livros no total e vivo recebendo mensagens, tanto de seguidores como de pais me apoiando. O Brasil é um país que, infelizmente, lê muito pouco. É muito bom ajudar a mudar isso. Além disso, lancei o meu podcast.

G: Como foi entrar para o mundo dos podcasts?
SA: Incrível! É uma forma de eu falar sobre outros assuntos, dessa vez mais delicados, como amor, relacionamento tóxico… Sempre me preocupo em passar a melhor informação possível. Além do meu ponto de vista, convido especialistas para participar. O episódio sobre relacionamento tóxico, por exemplo, teve uma audiência bem grande. Às vezes a pessoa está passando exatamente por um relacionamento assim, mas não sabe, e quando escuta alguém falar consegue identificar certos padrões que a levam a querer sair disso. Por isso, tento aproveitar ao máximo a minha voz para transmitir algo importante.

G: E sobre música, o que tem escutado?
SA: No momento, muito blues, mas tem um motivo especial. Baixo sempre foi o meu instrumento preferido, mas nunca pensei em aprender. Recentemente o Sérgio (Malheiros, namorado de Sophia) me deu um baixo de presente e eu resolvi fazer aulas. Então minha playlist tem sido basicamente de blues para me inspirar. Mas gosto muito de música nacional, como Ira, Majur, Emicida, Duda Beat. Tem muita coisa!

G: O Sérgio (Malheiros) também é ator. Vocês trocam informações sobre a profissão? Como é a dinâmica do casamento?
SA: Nós somos um time e ajudamos muito um ao outro. Ensaiamos juntos, ele me dá dicas. Como nossos gostos são parecidos, a chance de erro é muito menor. Confio no bom gosto do Sérgio e a nossa relação é baseada no respeito e no amor. (por Jaquelini Cornachioni)

https://www.instagram.com/p/B0TejTRjYNX/

Você também pode gostar