Kirsten Stewart interpretará Lady Di na comentada produção
Kirsten Stewart interpretará Lady Di na comentada produção || Créditos: Reprodução

Por causa do #Brexit, nova cinebiografia de Diana não poderá ter atores de cidadania britânica em seu elenco. Entenda!

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Kirsten Stewart interpretará Lady Di na comentada produção
Kirsten Stewart interpretará Lady Di na comentada produção || Créditos: Reprodução

Atores com passaportes britânicos que não incluem a menção “União Europeia” estão proibidos de atuar na comentada cinebiografia sobre a princesa Diana que terá Kirsten Stewart como protagonista. Consequência do Brexit, que foi a decisão do Reino Unido de deixar o bloco econômico formado por 27 países europeus, a proibição tem a ver com uma regra de financiamento que produções rodadas na terra da rainha Elizabeth II precisam seguir, e que as impede de terem em seus elencos e equipes de produção profissionais não habilitados para trabalhar em outros territórios da Europa ou cujas cidadanias diferem das de seus investidores.

Isso veio à tona por conta de uma chamada de casting publicada nessa semana em alguns jornais de Londres, e na qual os produtores da fita ainda sem título e data de estreia definida anunciam que estão em busca de um ator mirim para interpretar o príncipe William, primogênito de Lady Di, aos 11 anos. “É fundamental ter um passaporte europeu”, lê-se no tal anúncio.

Regularizado no começo desse ano, o Brexit entrará em vigor somente a partir de 1º de janeiro de 2021, mesma época em que o longa dirigido pelo chileno Pablo Larraín (o mesmo responsável pelo excelente “Jackie”) começará a ser gravado em várias locações do velho continente. O filme se passará durante um período de apenas três dias em que Diana se hospedou no Palácio de Sandringham, uma das residências oficiais da monarquia na Inglaterra, e na ocasião em que ela finalmente constatou que seu casamento dos sonhos com o príncipe Charles era uma grande farsa. (Por Anderson Antunes)

*

Abaixo, o anúncio postado nos jornais londrinos:

Você também pode gostar