Ricardo Pereira, Danielle Winits, Fiorella Mattheis e Gloria Maria: fim de ano movimentado

O fim de ano de Gloria Maria, Fiorella Mattheis e Danielle Winits? Vem!

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Ricardo Pereira, Danielle Winits, Fiorella Mattheis e Gloria Maria: fim de ano movimentado

Da série o que os famosos vão fazer neste fim de ano, Glamurama descobriu como será o Natal e a virada do ano para as atrizes Danielle Winits e Fiorella Mattheis, para a apresentadora Gloria Maria e o ator português Ricardo Pereira. Tem noite com Papai Noel, viagem para o Havaí e Disney e as superstições para o Réveillon. Olha só.

* Dani Winits: “Lá em casa tem visita do Papai Noel, para o Noah e o Guy. Neste ano vamos todos para a fazenda do Amaury [Nunes, namorado dela], reunir as duas família. Não precisamos focar na questão mercadológica. O Natal tem um significado de união, de refazer relações.”

* Fiorella Mattheis: “Meu Natal vai ser na minha cidade, Petrópolis. Como eu e o Flavio [Canto, marido dela] temos avós muito velhinhos, vamos passar o dia 24 separados, cada um com sua família. No dia 25 a gente se encontra. No Réveillon vamos para o Havaí. Nunca fomos juntos pra lá. Meus pais e irmãos vão viajar com a gente. Nossas férias são sempre em família.”

* Gloria Maria: “O Natal vai ser na minha casa, no Rio, com a família. Dia 28 embarco para Miami com as minhas filhas. Vamos nos hospedar no Fontainebleau. O Réveillon vai ser por lá. E vou tirar uns dias para levar a Maria e a Laura para a Disney.  A gente só volta em 10 de janeiro.”

* Ricardo Pereira: “Uma parte da família vem de Portugal. Não dá pra gente ir pra lá. A Francisca [filha dele, de 2 meses] ainda é muito pequenininha para tanto frio. Fiz isso com meu mais velho, o Vicente, e ele sofreu na época. Réveillon também fico aqui. Sabia que sou o cara mais supersticioso que conheço? Na hora da virada preciso ter comigo um crucifixo, um retrato de uma tia minha, que ajudou a me criar, 12 passas, dinheiro e uma lista de desejos. E tenho que estar com o pé direito no chão. No meio disso tudo ainda preciso beijar minha mulher e meus filhos! Também fui adquirindo novos hábitos no Brasil. Amo a tradição de jogar flores para Iemanjá e pular as sete ondas.”

Você também pode gostar