Publicidade
DSC6652-980x600-1
Clique do Música em Trancoso 2016 || Créditos: Divulgação

Em sua 6ª edição, o Música em Trancoso, consagrado nacional e internacionalmente e com produção e direção artística do Mozarteum, preparou para 2017 uma programação ainda mais diversificada e com muitas novidades em relação às edições anteriores. Serão oito noites temáticas dedicadas à música erudita, ao jazz, canções populares da Rússia, óperas da Itália e trilhas de filmes e musicais que marcaram época, incluídas pela primeira vez na programação, que vai de 18 a 25 de março.

A expectativa dos organizadores é de levar ao Teatro L’Occitane, palco oficial do evento, cerca de 8 mil pessoas. O Mozarteum ainda reunirá mais de 300 músicos e cantores de diferentes nacionalidades e estilos. Paralelamente, a maioria deles participará das atividades socioeducativas, como masterclasses e aulas abertas de iniciação musical, que abrem novas perspectivas para estudantes locais e músicos de todo o país.

À programação!

Canções populares e sinfonias

A noite russa abre o evento no dia 18, com a participação do barítono Alexander Kasyanov, do Teatro Bolshoi, que se apresenta pela primeira no Brasil. A mezzo-soprano Svetlana Shilova, também integrante do Bolshoi, é outro destaque da noite. Os dois interpretarão canções populares da Rússia e peças de compositores modernos como a internacionalmente conhecida  Katyusha, de Matvey Blanter. Para acompanhá-los, a Orquestra Jovem Mozarteum, sob regência do renomado maestro brasileiro Carlos Moreno. Completam as atrações do primeiro dia o Terem Quartet, com instrumentos tipicamente russos como balalaicas e bayan e o Coro Acadêmico Yurlov da Russia, um dos principais conjuntos vocais da Rússia.

Para os amantes da música erudita por excelência, no dia 19 a Noite Sinfônica reserva obras de alguns dos maiores compositores eruditos de todos os tempos, como Beethoven, Mozart, Dvorak e o contemporâneo francês Jacques Ibert. Para sua execução, a Orquestra Jovem retorna ao palco, junto a solistas de primeira: Oscar Bohórquez, violinista da Filarmônica de Londres; Leonard Elschenbroich, violoncelista da Sociedade Filarmônica de Bremen; Thomas Neuberth, trompetista da Sociedade de Orquestra e Coral Freiburg/Berlim; Pablo Rossi, jovem pianista brasileiro ganhador do 1º Concurso Nacional Nelson Freire para Novos Talentos Brasileiros, e mais dois integrantes da Filarmônica de Berlim: o flautista Mathieu Dufour e o oboísta Andreas Wittmann. A regência, dessa vez, é do maestro francês Benoît Fromanger, diretor artístico e regente titular da Sinfônica de Bucareste.

No swing do jazz

A terceira noite será exclusiva do grupo suíço Gershwin Piano Quartet, que se apresenta com uma formação rara: quatro pianistas tocando quatro pianos de cauda simultaneamente. Sem partituras, com interpretações próprias e improvisos, o quarteto incluiu em seu programa uma homenagem à Bossa Nova com “Corcovado” de Antonio Carlos Jobim.

O jazz volta a entrar em cena na terça-feira, 21, com outro quarteto de igual prestígio internacional, o The Oscar Peterson Quartet, composto por músicos apontados como os melhores do mundo no gênero: o pianista e compositor Gerald Clayton, o guitarrista Ulf Wakenius, o baixista Dave Young e o baterista Jim Doxas.

Ainda no ritmo do jazz, a noite de quarta-feira será do cantor Al Jarreau, que retorna ao Brasil exclusivamente para participar do festival. Jarreau é o único artista, depois de Michael Jackson, a ganhar seis Grammy nas categorias Jazz, Pop e R&B. Sobem ao palco com ele a Orquestra Jovem Mozarteum regida por Larry Baird, o tecladista Larry Williams, o baterista Mark Simmons, o baixista Chris Walker e o arranjador Gil Goldenstein.

Músicas de câmara, de filmes e musicais

A noite de Música de Câmara, no dia 23, será uma oportunidade para o público conhecer e aplaudir o talento dos alunos selecionados nas masterclasses, aulas  gratuitas que ocorrem durante toda a semana do evento. Que se apresentam ao lado de músicos profissionais como Lorenz Nasturica, violinista e diretor da Orquestra de Câmara da Filarmônica de Munique; Elena Serova, que tocará um cembalo, e a dupla da Filarmônica de Berlim, o flautista Mathieu Dafour e o oboísta Andreas Wittmann.

No penúltimo dia, o tema Música de Filmes e Musicais promete emocionar com composições de clássicos, como “The Impossible Dream“ (do musical “The man of la mancha”), ”New York, New York”, “Cinema Paradiso”, “Titanic”, “E.T.” e muitas outras. A música tema de “A Lista de Schindler” ficará por conta de Lorenz Nasturica e seu violino Ex Hegedus, um Stradivari de 1692, e Thomas Neuberth, primeiro trompete da ORSO – Sociedade de Orquestra e Coral Freiburg/Berlim. Para cantar “Requiem”, de A.L. Webber, o soprano Bruno de Sá, selecionado no 1º Canto em Trancoso para bolsa de estudos na Alemanha.

A última noite, a italiana, reúne algumas das óperas mais conhecidas do país interpretadas por cantores de grande dramaticidade com um espetáculo à parte: “Rigoletto” de Verdi nas vozes da mezzo-soprano Svetlana Shilova, do barítono Alexander Kasyanov, da soprano Julia Thornton e do tenor Enrique Folger. Além de Thornton, que fez sua estreia na ópera alemã como Helmwige, na aclamada montagem de “A Valquíria”.

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR

Dia 17 de Abril

Dia 17 de Abril

3 boutiques de streetwear para descobrir em Paris Embora Paris seja conhecida por suas prestigiosas boutiques de luxo,...

Instagram

Twitter