Espumantes submersos sõa mais especiais que os envelhecidos tradicionalmente
Espumantes submersos sõa mais especiais que os envelhecidos tradicionalmente || Créditos: Divulgação

Miolo é a primeira vinícola brasileira a realizar imersão de garrafas em cave submarina

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0
Espumantes submersos sõa mais especiais que os envelhecidos tradicionalmente || Créditos: Divulgação
Espumantes submersos são mais especiais que os envelhecidos tradicionalmente || Créditos: Divulgação
Para celebrar o sucesso de vendas do espumante Miolo Cuvée Tradition Brut – elaborado no Vale dos Vinhedos (RS) com uvas Chardonnay e Pinot Noir – em terras francesas, o Grupo Miolo decidiu inovar e apostar em sistema único de envelhecimento: a imersão de garrafas em caves submarinas.
Pois é. Há pouco mais de dois meses, um lote do celebrado espumante foi imerso no mar da província de Bretagne, no Atlântico Norte, na França. Toda a operação foi realizada em caves submarinas, criando condições ideais, não apenas para envelhecer, mas para conferir características singulares aos vinhos submetidos a este processo.

Estrategicamente mergulhadas na ilha de Ouessant, na região conhecida como Baie du Stiff, as garrafas dispostas horizontalmente em container especial ficam em contato com as temperaturas do mar (entre 11 e 13 °C) e do ar (de 8 a 10 °C), além de receberem as influências benéficas da constante agitação marítima.

 Sabor mais rico e floral e notas apuradas de manteiga e castanha foram observados
Sabor mais rico e floral e notas apuradas de manteiga e castanha foram observados || Créditos: Divulgação

Segundo Adriano Miolo, enólogo e superintendente do Grupo Miolo, os efeitos, observados em testes laboratoriais e degustações frequentes para acompanhar o amadurecimento da bebida, são surpreendentes. “Um espumante submerso apresentou 10 vezes mais compostos moleculares do que os envelhecidos pelo método tradicional. Esses compostos são responsáveis pela formação dos aromas e da complexidade do vinho”.

Ainda de acordo com Adriano, em degustações às cegas, os espumantes apresentaram sabor mais complexo, rico e floral, sem perder o frescor. Percebendo-se, também, notas de manteiga e castanha.

Curioso, não? Os espumantes serão retirados do mar em novembro deste ano e serão despachados para o Brasil e França em uma edição especial. Por aqui estamos contando os dias para provar essa belezura.

Você também pode gostar