Juliana Paes vira apresentadora: “Eu era louca pela Rosana. Me segura!”

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

 

Juliana Paes gravando a vinheta do “Globo de Ouro”

Como Glamurama adiantou, Juliana Paes foi escolhida para apresentar uma versão repaginada do “Globo de Ouro”, ao lado de Marcio Garcia, para o canal a cabo VIVA. Sobre o programa de TV que contava com shows dos artistas que estavam nas “paradas” dos anos 70 até 1990, a atriz relembra… “Faz parte da minha memória afetiva. Os meus pais estavam sempre em um clima de descontração quando começava, mas só me deixavam ver um pouquinho. Ficava tarde, eles me botavam pra dormir e voltavam para o sofá. E eu tentava espiar pela frestinha da porta do quarto. Era um momento de muito glamour na televisão. Quem eu mais queria ver cantar era o Fabio Jr. E a Rosana. Eu era louca pela Rosana. Achava ela linda, enigmática, exótica. Amava ‘Como uma Deusa’. Uma vez fui ao programa da Angélica e imitei a Rosana, com chapéu de feltro e tudo. Nunca quis ser paquita. Sempre fui morena, nunca tive vontade, pretensão de ser loira. Engraçado, né? Eu gostava mesmo era da Rosana…”

“Jornal Nacional”, não

Claro que a gente perguntou se esse pode ser o início de uma carreira como apresentadora. “Me viro nos 30. Não tenho problemas com a câmera, nem com o microfone na mão. Se é para ser espontânea, é comigo mesmo. Só não poderia apresentar o ‘Jornal Nacional’. Mas esse projeto é uma curtição, um barato. Não tenho esse tipo de plano. Aceitei na hora porque tenho esse carinho tão grande pelo ‘Globo de Ouro’. Quis participar desse revival.”

Um ar de poder

Um dos assuntos mais comentados por quem assiste às reprises das edições antigas do programa no VIVA é o figurino dos artistas na época. Será que Juliana vai usar roupas tipo retrô para comandar a atração? “Eu adorava ombreira, talvez influenciada por Michael Jackson, ou até pelas paquitas mesmo. Achava que dava um ar de poder. Uma vez minha mãe me deu uma jaquetinha de ombreira… Eu achava o máximo! De manga morcego eu nunca gostei. E nunca usaria uma bota branca. É puxado! Aqueles cabelos repicados demais eu também não curto, mas sempre gostei de cabelo armado. Até hoje. Nunca tive medo de volume. Inclusive na escola, quando as meninas entraram nessa moda de alisar… Nunca quis. Mas o nosso figurino não é inspirado no que se usava naquela época. Nossa proposta não é imitar, e sim fazer uma homenagem. Não justificaria a gente aparecer fantasiado. Estamos fazendo um ‘Globo de Ouro’ de agora. As roupas estão lindas, modernas, com muito brilho e glamour, mas nada que ofusque os convidados. A gente tem esse cuidado.”

Me segura!

Todo mundo sabe que Juliana gosta de soltar a voz de vez em quando. Será que vai rolar uma canja durante essa temporada? “Ainda não me pediram pra cantar. Se me pedirem, canto! Sou pau pra toda obra. E afinada. Tenho facilidade. Se alguém furar no dia, eu entro. Me segura, se não eu vou!” (Por Michelle Licory)

Você também pode gostar