Publicidade

 Tudo começou bem com um cenário bonito e uma ótima trilha. “Uma guerreira inspirada pelos ventos, raios e trovões” é o ponto de partida da coleção da PATACHOU. Mas as primeiras modelos que entram na passarela já mostram que veremos um pouco mais do mesmo: vestidos pretos justos e curtos, com cintura marcada, ombros destacados, saltos “killer” altíssimos, brilhos e transparências. Apesar do bom styling e das roupas bem trabalhadas e bonitas, esperava que a marca, que tem expertise no tricô, apresentaria um inverno próprio. Ok para o desejo de expandir, respirar novos ares e trabalhar com outros materiais, mas o forte mesmo deste desfile foi justamente os tricôs que apareceram, que, aí sim, formaram a imagem de um inverno gostoso e contemporâneo.

ANDREA MARQUES era a estreia mais aguardada do Fashion Rio. A imprensa a conhecia de outras histórias, já que Andrea foi diretora criativa da Maria Bonita Extra desde sua fundação até 2008. Em seu primeiro desfile solo, ela não decepciona. Características de seu trabalho, como a feminilidade e a estamparia, marcam presença em uma coleção delicada e elegante.

E, ufa, cores fortes na passarela! Coral, azul e amarelo ouro iluminaram a cartela focada no preto e no grafite. A delicadeza assumida de Andrea faz com que nada fique pesado. As peças mostram um exercício de volumes, mas são todos muito leves, como se fossem apenas mais um detalhe e não o diferencial. Aliás, pequenos toques fazem toda a diferença em um desfile. Um exemplo é a forma simples que ela arrumou de prender o cinto, um jeito fácil de dar embalar qualquer peça básica. Andrea é uma estilista que olha para dentro e tira do seu DNA as ferramentas de trabalho em vez de incorporar o estilo de outras marcas.

As roupas estão prontas para serem usadas e a própria Andrea me contou que tudo o que vimos na passarela irá para a loja e para as multimarcas que revendem a grife. “Faço roupas para serem usadas”.

A NEW ORDER agradou em seu primeiro desfile no Fashion Rio. Marca de acessórios, irmã da Osklen, estava curiosa para saber que caminho ela seguiria em um evento como o Fashion Rio. A coleção, que ganhou o nome de Oh My Dog!, manteve seu humor característico. Roupas e acessórios ganharam estampas de cachorro, enquanto correntes das bolsas imitavam coleiras. As bolinhas, que vira e mexe aparecem na programação visual da marca, também se destacaram, especialmente na estampa “dálmata”. Foi um desfile leve e divertido, do jeito que sua jovem cliente gosta.

ALESSA é uma menina de bem com a vida. Sua já tradicional e divertida entrada para os agradecimentos fechou o Fashion Rio com muito humor. Ao som de canções de Roberto Carlos (o único desfile a colocar música brasileira), as modelos mostraram a coleção inspirada na música e em instrumentos. O piano foi o mais usado e apareceu em estampas de vestidos e em peças de canutilhos preto e branco. Microfone, saxofone e vinil também viraram ilustrações. Aqui também a cintura é marcada, os ombros são trabalhados e o comprimento é curto. A diferença é que Alessa tem uma forma própria de revisitar uma tendência. Talvez não seja sua melhor coleção, mas temos que valorizar uma estilista com a mente aberta e, a melhor de suas características, com bastante ironia.

New Order, Alessa, Patachou e Andrea Marques

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR

Instagram

Twitter