Carlos Czeresnia
Reprodução

“O machismo sempre impediu que a infertilidade masculina fosse investigada”, explica Carlos Czeresnia, ginecologista e obstetra

0 Compartilhamentos
0
0
0
0
0

O médico ginecologista e obstetra Carlos Czeresnia da Clínica Célula Mater é especialista em fertilização in vitro. Em live com Joyce Pascowitch no Instagram do GLMRM, o especialista com 48 anos de carreira na medicina, comentou sobre os avanços que andam ampliando as possibilidades de pessoas, finalmente, conseguirem ter uma família biológica. Confira as principais declarações de Czeresnia durante o papo.

Infertilidade masculina
“O machismo sempre impediu que o homem fosse investigado. Essa investigação da infertilidade masculina é muito difícil, possuem poucas fórmulas de jurar, acertar que a infertilidade é de causa masculina. Por isso, fica esse aspecto nebuloso para investigar a infertilidade”.

Mulheres com dificuldade para engravidar:
“As coisas mudaram muito com o passar dos anos. Nesses quase 50 anos que exerço a medicina, vi uma evolução muito grande. As doenças mudaram, hoje enfrentamos maiores problemas de infertilidade, grande parte por uma mudança de comportamento da sociedade” .

Perfil e idade
“As mulheres entram no mercado de trabalho, e antes iam pensar em gravidez nos 30, 35 anos. Atualmente, pensam nos 40 anos, o que dificulta obviamente a gravidez e a fertilidade”

Reprodução

Taxa de natalidade
“Aumentou o número de mulheres que não querem engravidar. A mulher assumiu um papel ativo economicamente na sociedade, isso faz com que ela tenha uma liberdade de escolha muito grande, de exercer aquilo que ela assim deseja. Algumas pacientes querem engravidar sem parceiros”.

Abaixo, o papo completo de Joyce Pascowitch com Carlos Czeresnia.

Você também pode gostar