09.08.2019  /  13:14

Zezé Di Camargo revela como fez seu maior sucesso, ‘É o Amor’: “Estava ouvindo Maria Bethânia e quando voltei para casa, comecei a compor”

Xororó, Leonardo, Zezé di Camargo e Luciano // Divulgação

Pretende ficar em casa no próximo sábado? Pois saiba que a emoção rolou solta durante as gravações do ‘Altas Horas’ com os Amigos. Zezé Di Camargo & Luciano, Chitãozinho & Xororó e Leonardo participam do programa contando as melhores histórias da carreira… e cantando, claro. Chitãozinho revelou como surgiu a vontade de reviver essa união: “A ideia começou no Rio de Janeiro, há quase dois anos. No ano passado, os planos foram evoluindo e, neste ano, sentimos que tinha chegado o momento certo. Juntamos nossas bandas e começamos a escolher as músicas”.

Em determinado momento, os Amigos homenageiam Leandro, cantor que fez parte da formação original do projeto ao lado do irmão Leonardo e que morreu em 1998. “Ele sempre estará com a gente”, se emociona Xororó. Sobre a cena sertaneja, Chitãozinho destaca a evolução que acompanhou o estilo no país: “Fizemos aqueles espetáculos, na década de 90, com aquelas dimensões e felizmente a nova geração da música sertaneja está dando sequência. Hoje, os maiores shows feitos no Brasil são os de sertanejos”.

Zezé aproveita e desabafa com Serginho Groisman: “A música sertaneja não era para jovem e, quando fomos ao seu programa, que sempre teve um púbico mais novo, e vimos a plateia com camisetas personalizadas, cantando todas as músicas, saímos de lá com a certeza de que éramos um sucesso entre todas as idades. Estávamos com a alma lavada. Naquela época, ainda carregávamos nas costas um certo preconceito e temos uma responsabilidade muito grande de ter mudado isso”.

No set list dos Amigos, hits como “Evidências”, “Página de Amigos”, “Pense em mim”, “Não Aprendi Dizer Adeus”, “No Dia Em Que Eu Sai De Casa”, “Tapas & Beijos” e “Fio de Cabelo”, entre muitos outros. Sobre alguns desses sucessos, os artistas revelam como cada música foi parar na voz deles. “Faltava um dia para mostrar o repertório do disco que estávamos montando para a gravadora, e eu estava ouvindo Maria Bethânia. Sai para dar uma volta na rua e, quando voltei para casa, comecei a compor. O Luciano ficou ao meu lado, assistindo. Naquela mesma madrugada, terminei “É o Amor”, comenta Zezé sobre uma dos maiores hits da dupla, e Luciano acrescenta: “Eu sempre falo que as músicas têm endereços certos.”