25.12.2015  /  8:13

Zeca Camargo: “Realizado não, mas confortável e feliz”

É de Casa
Zeca Camargo no estúdio do “É de Casa” || Créditos: TV Globo

Por Michelle Licory

Zeca Camargo, depois das turbulências com o “Video Show”, entrou nos trilhos de novo com o “É de Casa”. Glamurama foi bater um papo com o jornalista sobre essa nova fase. “Ah, estou muito melhor. É um programa superlegal, voltei a trabalhar com a Patricia [Poeta], que eu adoro. E o ‘É de Casa’ agora está mais focado, mais centrado. Me encontrei lá, com aquela turma. A gente tem um equilíbrio entre informação e entretenimento: são três jornalistas e três apresentadores no time. Jornalista até passa para o entretenimento, mas com uma outra postura. E agora veio o reconhecimento do público”.

“Ninguém estreia com a pretensão de ter um programa pronto”

* “É um  programa novo… Normalíssimo passar por ajustes. É preciso criar o hábito no telespectador, dizer ‘experimenta’, um fenômeno da TV aberta. Ninguém estreia com a pretensão de ter um programa fechado, pronto. Como é ao vivo, a gente vai fazendo as mudanças com ele no ar. Estamos com um formato mais solto. Patrícia é muito íntima, mas com os outros eu nunca tinha trabalhado. Tem o tempo de pegar intimidade também… Não posso dizer que estou realizado porque estou sempre fuçando algo para fazer, mas estou confortável e feliz no trabalho. A gente está tendo reuniões sobre novos quadros, que devem entrar depois do Carnaval. Durante o verão, vamos aproveitar mais o lado de fora da casa onde funciona o estúdio”.

“Se eu voltaria? Não”

“Dou palpite para o ‘Fantástico’ até hoje. Se eu voltaria? Não, foi muito tempo lá. E quem está hoje manda muito bem. Mas falo com alguém da equipe quase todo dia e tenho uma admiração absurda pelo Luiz Nascimento [diretor do programa]”.

Viajar é preciso

“Só conheço 101 países. São 200… Com o ‘É De Casa’, viajo bastante pelo Brasil. Em março tenho férias. Estou pensando em ir para Madagascar. E adoraria conhecer o Irã”.

Medida Certa

“Quatro anos e meio depois de ter participado do quadro [de vida saudável e perda de peso, do ‘Fantástico’], continuo comendo a cada três horas. Não levo marmitas, não sou religioso com isso, mas improviso lanches saudáveis, frutas. Detesto doce, então isso nunca foi problema, e sim pão, queijo… Nunca vou gostar, mas aprendi a correr, o que é muito importante e você pode fazer em qualquer lugar do mundo. São 40 minutos só. Está com o fuso horário maluco e não consegue dormir? Vai dar uma corrida… Até hoje estou bebendo menos alcool e nunca mais tomei refrigerante”.