03.05.2017  /  11:47

William e Kate poderão embolsar R$ 5 mi por flagra de topless real

Revista Closer nas bancas, em 2012 || Créditos: Getty Images
Revista Closer nas bancas, em 2012 || Créditos: Getty Images

O processo aberto em 2012 pelo príncipe William por Kate Middleton contra a edição francesa da revista de celebridades “Closer” está perto de chegar ao fim e com vantagem para os dois. Para quem não lembra, a publicação causou polêmica há cinco anos quando publicou fotos exclusivas nas quais a duquesa de Cambridge aparece de topless, o que ela considerou uma invasão de privacidade, já que os cliques foram feitos quando ela curtia férias em uma propriedade particular na região da Provença, na França.

Nessa terça-feira, três executivos do grupo editorial Arnoldo Mondadori Editore, que é dono da “Closer” e pertence ao bilionário e ex-premiê italiano Silvio Berlusconi, foram a julgamento junto com outros três fotógrafos, ocasião em que os advogados de William e Kate também foram ouvidos e classificaram a publicação das imagens como “assédio”.

O casal real pede na justiça uma indenização de US$ 1,6 milhão (R$ 5 milhões) pelos danos morais que afirma ter sofrido e pretende doar a soma para obras de caridade. O mais provável, no entanto, é que um acordo entre as partes seja finalizado nos próximos dias, com direito a pedido de desculpas dos paparazzi. (Por Anderson Antunes)