05.05.2020  /  11:21

VP da Amazon pede demissão em solidariedade a funcionários da empresa que denunciaram más condições de trabalho

Tim Bray || Créditos: Reprodução

Descontente com a demissão em massa de funcionários da Amazon que só perderam seus jobs porque ousaram reclamar das supostas más condições de trabalho a que teriam sido submetidos nos vários armazéns da gigante do e-commerce espalhados pelos Estados Unidos, Tim Bray – um engenheiro canadense e vice-presidente de serviços de internet da empresa até recentemente, muito conhecido entre seus pares – resolveu pedir as contas em solidariedade aos ex-subordinados que agora são seus “colegas” de desemprego.

Em um post que fez nessa segunda-feira no blog pessoal que mantém há anos no ar, o executivo disse ter ficado “consternado” com as demissões e chegou a citar uma tal “veia de toxicidade que atravessa a cultura da Amazon”, sem dar muitos detalhes sobre isso, o que teria custado a cabeça dos “delatores”. “Eu me recuso a servir ou beber desse veneno”, Bray se justificou no texto, intitulado “Tchau, Amazon”.

Por fim, Bray, de 64 anos, seis deles dando expediente na Amazon, revelou que ganhava mais de US$ 1 milhão (R$ 5,5 milhões) por ano antes dos impostos como funcionário da companhia fundada por Jeff Bezos, mas garantiu que não sentirá falta do dinheiro porque acredita ter tomado a decisão certa contra “esse capitalismo selvagem”. Além disso, e como ex-funcionário muito bem pago de outras gigantes tech como o Google, ele certamente já amealhou o suficiente para curtir uma bela aposentadoria. (Por Anderson Antunes)