31.07.2020  /  21:57

Viviane Mosé fala sobre o mundo pós-pandemia e redes sociais: “Ou aprendemos a lidar ou seremos manipulados para sempre”

Fechamos a semana com uma reflexão sobre o cotidiano e a vida em isolamento durante e pós-pandemia com papo com a psicanalista Viviane Mosé. Capixaba, graduada pela Universidade Federal do Espirito Santo, onde tornou-se especialista em Elaboração e Implementação de Politicas Pública, Viviane é mestre e doutora em filosofia pelo Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ, psicóloga,  poeta, palestrante e escritora. Escreveu e apresentou a série ‘Ser ou não Ser’ no Fantástico e atualmente está no programa Encontro com Fátima Bernardes.

Viviane falou sobre como as pessoas passaram a se interessar pela filosofia: “Isso começou comigo no Brasil e Alain de Botton fez isso lá fora. Hoje sou chamada de Alain de Botton do Brasil. Quando trouxe isso para o Fantástico, ninguém fazia”, conta. A psicanalista analisa a situação que estamos vivendo com a pandemia: “Temos dois prédios: um em ruína e outro em construção. O que estava em construção, que era o mundo virtual, salvou o que estava em ruínas. Além disso a virtualidade segurou completamente as doações. Tínhamos vendido nossa vida ao virtual, hoje estamos rendidos à internet e percebemos a falta de um abraço”.

E como devemos usar as redes sociais ao nosso favor? “Se atrás da tela estiver alguém que sente, você pode fazer o que quiser nas redes sociais. Não tem nada errado com a internet. A rede social tem um formato que aceitamos. Nossa relação com esse mundo virtual não pode nos fazer morar nele. As redes vão ajudar a gente a fazer gestão publica, a trabalhar de casa… temos que inverter a lógica da coisa”.

O que todo mundo quer saber é como será a vida pós-pandemia. “Igual será impossível por causa do isolamento e também das mortes. As mortes, por mais que algumas pessoas normalizem e neguem, está atingindo a todos. Isso nos atinge de muitos modos, não só na razão, mas no corpo e na percepção. Essas coisas nos atravessam. Estar isolado, dentro de casa com a família também trouxe muitos conflitos. Ou aprendemos a lidar ou seremos manipulados para sempre. Sairemos disso com parte da humanidade adulta e parte retrocedendo”. Play para o papo completo.