Vinte e cinco anos depois, Hugh Grant revela o culpado por ter sido preso por atentado ao pudor com Divine Brown. Oi?

3 Compartilhamentos
2
0
1
0
0
0

Quem não lembra quando Hugh Grant foi pego no flagra, dentro dentro de seu carro, em Los Angeles, com a prostituta Divine Brown? Isso aconteceu nos idos de 1995. Os dois foram presos por atentado ao pudor e rolou o maior bafafá porque, na época, ele tinha um longo relacionamento com Elizabeth Hurley.

Vinte e cinco anos depois, em entrevista ao podcast WTF de Marc Maron, o ator apontou um culpado pelo ‘deslize’ daquele dia: seu filme de estreia em Hollywood, ‘Nove Meses’.  Oi?

Ele teria ficado muito deprimido com seu desempenho na comédia romântica – que tinha Julianne Moore e Robin Williams no elenco – e ‘uma coisa acabou levando à outra’.  “Estava desapontado comigo mesmo.” Apesar de suas preocupações, o filme estreou em terceiro lugar nas bilheterias dos EUA, com uma arrecadação de US $ 12,5 milhões e US $ 138,5 milhões em todo o mundo.

“O filme foi bem nas bilheterias, na verdade eu acho que foi muito bem, e isso é tudo com que Hollywood realmente se importa”, disse ele.

Voltando ao dia da prisão: Hugh foi detido perto de Sunset Boulevard depois de pagar cerca de US$ 60 (cerca de 350 reais, nos valores de hoje) para Divine fazer sexo oral. Foi condenado a uma multa de US $ 1.000 (cerca de 5700 reais) e obrigado a participar de um programa educacional sobre AIDS.

Divine, por sua vez, foi condenada a 180 dias de prisão por se envolver em conduta obscena em lugar público, e também por violar liberdade condicional por acusações de prostituição anteriores. Em declaração na época, o ator disse: ‘Ontem à noite fiz algo completamente insano. Magoei pessoas que amo e envergonhei as pessoas com quem trabalho. Por ambas as coisas lamento mais do que posso dizer.

Em tempo: a relação com Liz Hurley ficou estremecida, mas eles voltaram às boas. Ele é até padrinho de Damian Hurley, filho de Elizabeth, de 18 anos.