20.04.2019  /  9:00

Vida e obra de Tunga, único artista contemporâneo a expor no Louvre, estreia nas telonas em maio

Tunga foi o primeiro artista contemporâneo a expor seu trabalho no Louvre, em Paris || Créditos: Divulgação

Ter uma obra no Museu do Louvre, em Paris, é o sonho de muitos, e o primeiro artista contemporâneo a conseguir isso foi o brasileiro Antonio José de Barros Carvalho e Mello Mourão, o Tunga. Agora, a história de vida e arte do desenhista, escultor e artista performático, considerado um dos criadores brasileiros mais representativos da arte contemporânea, vai estrear nos cinemas. Dirigido por Miguel de Almeida, “Tunga, o Esquecimento das Paixões”, estreia nos cinemas no dia 9 de maio e conta a trajetória do pernambucano que ficou famoso no mundo com sua arte.

O roteiro do filme é construído por meio da visão do diretor sobre a vida, trajetória e a obra de Tunga, registrando o universo criativo dele, inclusive ao mostrar como foi feitas a instalação do artista na pirâmide do Louvre. Em forma de documentário, a produção conta com depoimentos de Miguel Rio Branco, Paulo Sergio Duarte, Cildo Meireles, Bernardo Paz, Murilo Salles, Fernando Sant’Anna, Arthur Omar, Cosmo Tomé da Silva, Leonardo Gomes Guimarães e Zé Mario Pereira, e conta com narração da cantora e compositora Marina Lima.

Tunga estudou arquitetura e urbanismo no Rio de Janeiro, onde desenvolveu sua carreira nas artes plásticas iniciada na década de 1970. Investigou literatura, filosofia, psicanálise, teatro, cinema e ciências exatas e biológicas para realizar seu trabalho.

Para ficar com gostinho de quero mais, play no trailer:

1820