21.05.2020  /  10:00

Uso indevido de foto de si mesma que postou no Instagram pode custar quase R$ 1 milhão a Jennifer Hudson

Jennifer Hudson no mesmo dia em que foi clicada por Ramales || Créditos: Reprodução

Jennifer Hudson está sendo processada por um fotógrafo de Nova York que a acusa de ter lhe roubado um de seus cliques, um tipo de ação envolvendo celebridades que de uns tempos pra cá se tornou cada vez mais comum nos Estados Unidos. Dessa vez o reclamante é Fernando Ramales, que registrou a vencedora do Oscar por “Dreamgirls” a bordo de um blazer “oversized” rosa fluorescente no fim do ano passado durante um outing dela por Manhattan.

A mesma foto foi postada por Hudson poucos dias depois em sua conta no Instagram, em 21 de dezembro de 2019, mas em nenhum momento ela creditou o autor da imagem e, ao que parece, tampouco o pagou pelo direito de usá-la na rede social. “É cada vez maior o número de famosos que se apropriam indevidamente de imagens feitas por fotógrafos profissionais a fim de se promoverem nas redes”, o advogado de Ramales reclama nos autos.

Ele e seu cliente agora pedem uma indenização de US$ 175 mil (R$ 984,2 mil) para Hudson, pela suposta violação de direitos autorais. Recentemente, as sisters Kim e Khlóe Kardashian também se tornaram alvos de processos nos quais são acusadas do mesmo crime de uso indevido de imagem. A primeira já resolveu a questão com um acordo fora dos tribunais, enquanto a última ainda trata disso na justiça dos EUA. (Por Anderson Antunes)

O post com a imagem clicada pelo fotógrafo no Insta da atriz || Créditos: Reprodução