29.07.2016  /  13:43

Uso de calças por Hillary em campanha é visto como código de autoridade

hillary-cine
Hillary Clinton durante a Convenção Nacional Democrata || Créditos: Reprodução Instagram

Hillary Clinton aceitou publicamente a nomeação como candidata à presidência dos Estados Unidos para uma multidão durante a Convenção Nacional Democrata, na Filadélfia, na noite dessa quinta-feira. Como é a primeira mulher a concorrer ao maior posto do país, os olhos, é claro, se voltaram para o que ela estava vestindo. Enquanto muitos apostaram suas fichas em um vestido de silhueta feminina, como fez Michelle Obama nessa segunda-feira, foi a bordo de um terninho clássico off-white que Hillary discursou para uma multidão no Wells Fargo Center.

No início desta semana, o The New York Times publicou uma crítica dizendo que a primeira candidata à presidência mulher provavelmente usaria calças para aceitar a nomeação, argumentando que uma mulher não deveria ter que usar calças para convencer outros de sua autoridade. Vale lembrar que foi em 1969 que mulheres ganharam o direito de frequentar o Congresso dos EUA usando calças e hoje a questão é ter autoridade sob vestidos femininos. Segundo o Washington Post, a primeira a adotar a peça, no mesmo ano, foi a deputada republicana Charlotte T. Reid. Como secretária de Estado, Hillary já sempre preferiu os terninhos, variando entre Oscar de La Renta, Armani e Susanna Beverly Hills. Como candidata a presidente, não poderia ser diferente. E não são poucos os estilistas que declararam seu apoio a Hillary. Entre eles, Diane von Furstenberg – que adora um vestido -, Tory Burch, Marc Jacobs, Joseph Altuzarra, e Pamela Love. Camisetas criadas por eles e outros estilistas são encontradas à venda por US$ 45 dólares (R$ 145) no site de Hillary. Pelo visto, Hillary não vai se arriscar na campanha, e vai continuar vestindo seus terninhos bem cortados.