03.12.2013  /  10:37

Um papo com Lapo Elkann, herdeiro da Fiat, no Rio. Pode entrar

Lapo Elkann, um dos herdeiros da Fiat, bateu um papo com a gente – em português – essa segunda-feira, no Rio. A conversa foi um dia depois de ele ganhar almoço da Gucci na casa de Lenny Niemeyer, para comemorar a chegada ao Brasil da coleção cápsula que desenvolveu em parceria com a marca. “São mais de 90 possibilidades de customização. É bastante criativa e traz um luxo em um nível profundo. Nenhuma outra casa se preocupou tanto com os detalhes, os forros, tudo. Nem a  Zegna. Talvez a única que tenha chegado perto seja a Hermès. O resto está abaixo. E se você não puder pagar por um terno, pode ter uma gravata. Já é um sucesso na Itália e também nos Estados Unidos, onde muitas celebridades estão usando nossos itens”, conta Lapo.

* Ele deixa o país nesta terça-feira, rumo a Miami, para divulgar os lançamentos da linha de óculos de sua empresa, a Italia Independent. “Infelizmente tenho que ir embora. Adoro o Brasil… Morei no Rio dos 5 aos 11 anos. Falo português com sotaque carioca. De que mais gosto? Da felicidade, da energia e da positividade que vocês sabem dar ao mundo. É um lugar muito solar que faz a gente querer ser contente e dançar. De comida, minhas preferências são farofa, feijoada e moqueca de camarão. Ah, e brigadeiro, para lembrar da minha infância.” Arrivederci, Lapo!