30.06.2015  /  18:20

Tinho abre exposição com esculturas e instalação de roupas doadas

Obras de TINHO que estarão em exposição || Créditos: Divulgação
Obras de TINHO que estarão em exposição || Créditos: Divulgação

Tinho, um dos nomes mais conceituados da arte urbana no Brasil, tem novidades: abre nesta quarta-feira exposição na galeria carioca Movimento. "Verdades que Habitam em Coisas que Restam" tem como objeto principal os bonecos de retalhos que são sua marca registrada. São "personagens" criados por Tinho em 1993, antes em preto e branco e hoje formados por retalhos, inspirados na cultura de patchworks do Brasil; cada pedacinho representa uma vivência diferente. Nessa mostra, esses bonecos saem das telas e se materializam para falar de "sentimentos que não são expostos e ficam nas entrelinhas", um comportamento, segundo ele, comum em relacionamentos vividos nas grandes metrópoles. São sete esculturas de 1,5 m cada. "Artesanais e únicos, em oposição aos brinquedos industrializados, frutos analógicos do início desse milênio que ruma para a vida digital. Simbolizam uma figura protetora e acolhedora, como um último recurso para uma criança abandonada. Todo adulto tem uma criança interior, que ele deve aprender a cuidar ao longo do curso da vida", filosofa Tinho. Na exposição, também estarão 14 telas inéditas que têm como assunto principal o caos urbano.

* Quem passar por lá é convidado a deixar roupas para doação, que antes de chegarem a seu destino final - a ONG Instituto da Criança - vão compor uma instalação do artista. Em tempo: em agosto, ele embarca para a China, para uma residência na Xucun Comuna de Arte Internacional. Bacana, não?