23.03.2017  /  11:20

Terno de tartan que foi do rei George V e lançou moda irá a leilão. Mas já tem dono…

Hugh Grosvernor e o terno de tartan que vai a leilão || Créditos: Getty Images
Hugh Grosvernor e o terno de tartan que vai a leilão || Créditos: Getty Images

Um terno de tartan – tipo de estampa quadriculada com linhas e cores diferentes típica da Escócia -, que pertenceu ao rei George V no fim do século 19 e foi herdado pelo filho dele, o ex-rei Eduardo VIII (aquele que abdicou ao trono para se casar com uma americana divorciada), será vendido no prego em 28 de abril, pela Julien’s Auctions, de Los Angeles, uma casa de leilões especializada em memorabilia de famosos. Em sua autobiografia, o ex-rei – que manteve apenas o título de Duque de Windsor depois que entregou a coroa – revelou que criou moda sem querer nos anos 1950 ao ser fotografado com a peça, que acabou sendo copiada por homens do mundo inteiro.

Acredita-se que este seja o único item de vestuário que já pertenceu a dois reis britânicos e que não faz parte do acervo da família real do Reino Unido. Comercializado pela última vez em 1997, em um leilão da coleção particular do duque realizado pela Sotheby’s, o terno chegou a ser exibido em uma mostra do Costume Institute, do Metropolitan Museum de Nova York, há alguns anos.

O leilão do próximo mês, na verdade, será uma mera formalidade, já que o jovem Hugh Grosvernor, o 7º duque de Westminster, que no ano passado herdou uma fortuna de £ 9 bilhões (R$ 34,8 bilhões) após a morte súbita de seu pai, já decidiu que irá arrematar o terno e em seguida pretende doá-lo para o Palácio de Buckingham, para ser exposto a quem quiser apreciá-lo na residência oficial da rainha Elizabeth II. (Por Anderson Antunes)