14.12.2020  /  11:58

Ter contraído a Covid-19 influenciou o agora ex-CEO da Ferrari a renunciar ao cargo na semana passada

Louis Camilleri
Louis Camilleri || Créditos: Reprodução

Ter contraído o novo coronavírus foi um dos motivos que levaram o agora ex-CEO da Ferrari, Louis Camilleri, a anunciar sua renúncia imediata do cargo na última quinta-feira. Na ocasião, o executivo de 65 anos citou “motivos pessoais” para deixar o comando da montadora italiana de carros esportivos. Mas agora sabe-se que a batalha dele contra a Covid-19 o teria convencido de que estava na hora de se aposentar.

Camilleri, que chegou a ser internado para tratar a doença, sempre temeu ter o mesmo destino que seu antecessor na Ferrari: Sergio Marchionne, que morreu em 2018 depois de sofrer várias complicações causadas por uma cirurgia que fez na época. Ele também renunciou ao cargo de membro do conselho da Philip Morris, do qual foi presidente entre 2008 e 2013.

John Elkann – herdeiro da família Agnelli, que controla a Ferrari – agradeceu Camilleri por sua dedicação. “Sua paixão pela Ferrari não tem limites e, sob seu comando, a empresa se afirmou ainda mais como uma das maiores do mundo em seu segmento”, disse em nota Elkann, que o substituirá até a contratação de um novo comandante para a escuderia de Maranello. (Por Anderson Antunes)