09.09.2020  /  11:43

Tensões comerciais entre EUA e França resultam na paralisação da compra da Tiffany & Co. pelo gigante do luxo LVMH

O negócio foi anunciado com estardalhaço no ano passado || Créditos: Reprodução

Quase dez meses depois de anunciar a compra da Tiffany & Co. por US$ 16,2 bilhões (R$ 85,9 bilhões), o conglomerado francês LVMH avisou nessa quarta-feira que decidiu paralisar o negócio. De acordo com o gigante do luxo comandado pelo bilionário Bernard Arnault, a crescente tensão comercial entre os Estados Unidos e a França, além da crise causada pelo novo coronavírus, são alguns dos motivos por trás de sua mais recente decisão.

No começo do ano, o Ministério das Relações Exteriores da França enviou um pedido aos executivos do LVMH para que eles adiassem a compra bilionária por conta da ameaça dos EUA de impor tarifas sobre vários produtos franceses e europeus feitas na época, e em retaliação aos subsídios oferecidos pelo governo francês à fabricante de aviões da Airbus e de suas subsidiárias.

Some-se a isso o fato de que a Tiffany’s também pediu mais tempo para analisar se valia mesmo a pena ser comprada pelos franceses, e o resultado foi o anunciado nessa quarta. Apesar de paralisada e de ter subido no telhado há meses, a transação ainda tem chances de ser finalizada com sucesso no futuro, já que se trata de uma chance única para que o LVMH aumente sua presença e poder no país mais rico do mundo. (Por Anderson Antunes)