13.06.2021  /  9:00

Tendência do ‘sexual wellness’ aquece mercado de autocuidado com proposta de normalização do bem-estar sexual

Vamos conversar ? || Créditos: Getty Images

Depois do “boom” do skincare, com direito a rotina coreana de 10 passos, produtinhos mil e uma série de ácidos novos para a pele do rosto -, a indústria da beleza já tem a sua nova aposta para promover o autocuidado: o sexual wellness. Apesar do nome todo gringo, estamos falando em bem-estar sexual, em tradução literal para o português. Mas se engana quem pensa que o tema trata apenas do ato; a tendência crescente busca normalizar conversas sobre o assunto, incentivar o autoconhecimento de nossos corpos e disseminar a ideia de que sexo é saúde.

Coincidência ou não, o movimento chega em um período em que as pessoas, principalmente os solteiros, estão precisando explorar a própria sexualidade sozinhas. Sem a presença física de um parceiro ou parceira na hora da relação, devido às limitações do isolamento social, tem sido cada vez mais necessário redescobrir – ou até mesmo reinventar – o prazer. É nessa hora que a já consagrada – porém cheia de estigmas – masturbação entra em cena.

Para a médica ginecologista estética Marcella Maia, as mudanças no mercado e o lançamento de novos produtos na categoria representam um grande avanço. “É um tema que, infelizmente, ainda envolve muitos tabus e preconceitos. Principalmente do lado da mulher, né? Mas é importante que conversemos sobre sexo e sexualidade e naturalizemos isso ao máximo. Uma parte da população feminina sente dor durante o ato e acha que é normal ou que o problema está nela e não é. Dor é sempre um sinal de alerta! Se o tema fosse mais presente em papos entre amigas, rodas de conversa ou até mesmo no consultório médico, muitos casos poderiam ser evitados”, explica a doutora.

NOVIDADES
Para ter uma ideia do tamanho da tendência, aí vai alguns fatos: a atriz Gwyneth Paltrow, a modelo Cara Delevigne e a cantora e compositora Lily Allen são algumas das muitas celebridades que, ao invés de lançarem marcas de beleza com o próprio nome – como tem sido o habitual até aqui -, decidiram endossar essa revolução. Assim, se uniram à marcas do meio para promover dildos, lubrificantes e velas com identidade visual minimalista, cores e formatos lúdicos, além de fórmulas hidratantes e naturais.

“O lubrificante, por exemplo, é um produto essencial na hora da relação, seja ela a dois ou não. O recomendável é sempre pesquisar bem em qual marca investir e prestar atenção à composição: quanto mais natural, melhor. Afinal, é uma fórmula que estará em contato direto com o seu canal vaginal. Também é importante conferir qual é a base; lubrificantes à base de óleo podem deixar o preservativo poroso e facilitar a ruptura. Os mais indicados são à base d’água”, instrui a médica especialista.

É neste momento do mundo e neste mercado repleto de matérias-primas veganas, orgânicas ou sustentáveis que aquela velha imagem performática e mecânica dos apetrechos sexuais ganha todo um novo olhar. Sozinho ou acompanhado, a ideia é propor um diálogo transformador entre você e o seu corpo. Muito prazer!

Bullet, Lilit | Lubricante Enjoy Sexual Care, Simple Organic | Dildos, Mitra | Vela Light Up, Simple Organic || Imagens: reprodução