11.03.2016  /  17:06

Tefaf revela relatório com ups and downs do mercado de arte

Tefaf: telas, joias, mobiliários e outros tipos de obras reunidos em uma das melhores feiras de arte do mundo

Tefaf: telas, joias, mobiliários e outros itens reunidos em uma das melhores feiras de arte do mundo || Créditos: Divulgação

A Tefaf 2016, uma das mais tradicionais feiras de arte do mundo, realizada em Maastritch, na Holanda, tem seguro no valor de € 3 bilhões. E o valor até parece baixo diante do mix de obras de arte expostas nos mais de 200 stands de galerias, antiquários e demais participantes. Por aqui, é possível comprar ou somente apreciar obras clássicas como dos pintores Rembrandt, Picasso, Monet, passando por esculturas, mobiliários, cerâmicas e joias – todos raros e com cifras milionárias. A ate arte moderna ainda tem pouca relevância para a os organizadores da feira, mas com exemplares importantes como um quadro de Jean-Michel Basquiat que vale U$ 8 milhões e até dois artistas brasileiros: Vik Muniz e osgemeos. A feira é diferente em tudo, a disposição dos stands e suas decorações luxuosas. No dia da abertura para convidados, por exemplo, o cocktail para 10 mil pessoas contou com a princesa da Holanda, Marilène de Orange-Nassau, e seu marido, o príncipe Maurits van Oranje-Nassau representantes da família real holandesa.

Ups and downs

Junto com a abertura da feira, realizada nesta sexta-feira, foi apresentado o relatório sobre o mercado de arte de 2016 da Tefaf, que mostrou queda nas vendas globais de obras de arte de 7% no ano passado. O único país que obteve números positivos no mercado de arte foram os Estados Unidos. Os americanos compraram 4% a mais que em 2015. As vendas online no mundo também chamam a atenção e cresceram 7% em 2015, se comparada ao ano anterior, chegando a movimentar U$4,7 bilhões.

Expansão

Em 2017, a Tefaf completa 30 anos, mas as comemorações foram antecipadas. Ainda em 2016, ela segue para Nova York com duas feiras em tamanho menor, mas que demonstram a importância do país no mercado das artes. A primeira acontece em outubro e a segunda em maio de 2017. Glamurama conversou com o CEO da Tefaf, Patrick Van Maris, que foi convicto: “Nova York é o mercado mais importante de arte da atualidade”.

Na galeria, Glamurama mostra as principais obras expostas na Tefaf 2016 e algumas curiosidades. Vem!

A repórter Fernanda Grilo viajou para Maastrich a convite da organização da Tefaf