22.08.2018  /  16:38

Taís Araújo estreia como apresentadora na Globo: “Sou uma fábrica de memes”

Taís Araújo || Créditos: Juliana Rezende

Taís Araújo só cresce em sua jornada na Globo. A atriz, que conquistou o público como a pop star Michelle na bem sucedida série ‘Mister Brau’, aguçou a mente criativa de Boninho, que a convidou para flertar com esse universo na “vida real”, como apresentadora do… “Pop Star” – ocupando o lugar que foi de Fernanda Lima. A segunda edição do reality show no qual personalidades famosas em outras áreas se desafiam soltando a voz estreia dia 16 de setembro. Quem vai competir? Carol Trentini, Renata Capucci, Sergio Guizé, Eri Johnson… Glamurama bateu um papo com Taís sobre esse novo momento profissional. Vem ler! (por Michelle Licory)

“Sou uma máscara balinesa”

“Os outros que cantam, eu que fico ofegante… Sou uma máscara balinesa, faço careta o tempo inteiro, então sou uma fábrica de memes. Tô preocupada, não. Mas TP [teleprompter, uma máquina que projeta o texto que o apresentador precisa falar] eu sei ler, pelo menos. Tenho experiência de quatro anos no ‘SuperBonita’, mais uma temporada no ‘Saia Justa’ [ambos do GNT]. Mas não tinha plateia, esse esquema reality… Sabe o que é? Faço 40 anos no fim do ano… E recebo uma proposta dessas? Tenho que aceitar! Primeiro porque eu adoro o programa e via muito. Quando o Boninho ligou, nem acreditei. Respondi: ‘Vambora’. Depois que disse isso é que me toquei que tinha ao vivo… É muito difícil, mas vamos lá! Não sei porque pensaram em mim. Boninho falou muito de ‘Mister Brau’, que tinha essa coisa da música… Nem perguntei… Quando vi, já estava aqui fazendo”.

“Tenho muita inveja da Renata Capucci”

Os dois primeiros programas, que não são ao vivo, já foram gravados. Como Taís acha que está se saindo? “Centrada e sensata não sou eu. Centrada é a Renata Capucci. Tenho muita inveja dela… Eu me envolvo! Não consigo só apresentar. Sou tipo top 5 das manteigas derretidas do Brasil. A pessoa que mais chora… Perguntei para o Boninho: ‘E se eu me emocionar no ar?’ Ele respondeu: ‘Problema seu'”.

“Seria tipo kamikaze”

Coisa mais natural é brotar no público a expectativa de ouvir uma palinha de Taís, que além de ‘Mister Brau’, já cantou no grupo das Empreguetes na novela “Cheias de Charme”… “Não vou cantar, mas dá a maior vontade. É que eu não sei mesmo. Se tivesse talento, vocação… Cara de pau eu tenho, mas detesto competição. Eu não tenho equilíbrio emocional para participar de uma competição dessas. Acho eles muito corajosos. Eu não conseguiria nem um ‘Dança dos Famosos’, por exemplo. Não tenho esse desprendimento. Sou a maior medrosa, fico nervosa. Acho que vou cair, desmaiar. Pra que passar por isso, sem a menor necessidade? Mas não é medo de ser julgada. Sou julgada o tempo inteiro. Se tivesse medo disso, já tinha desaparecido. De qualquer forma, acho lindo eles cantando… Sim, vou fazer o ao vivo, mas é falando, comunicando, e sou comunicadora. Não sou cantora. Não tenho segurança no meu canto. Seria tipo kamikaze. O Eri, por exemplo, sabe que não canta muito, mas ele é um showman, cara! Eu não. Tem que saber o lugar que você ocupa. Adoro correr risco, mas em personagens diferentes do que estou acostumada… Nisso não”.

“Tenho vergonha porque acho que estou dando truque”

E mais: “Em ‘Mister Brau’, eu cantava tudo errado, o cara afinava depois de gravado e o povo achava que eu sei cantar… Eu não tenho coragem. Eu sou até afinadinha, mas o negócio é que eu não sou pop star. Não sei olhar para as pessoas e cantar. Tenho vergonha porque acho que estou dando truque. Nos shows do Brau, eu olhava para o infinito porque tinha vergonha de olhar para as pessoas”.

Taís Araújo || Créditos: Juliana Rezende

“A Fernanda Lima não era atriz. Tentou ser”

Corre o risco de gostar tanto de apresentar que a atuação fique um pouco de lado? “Nunca. Sou atriz. A Fernanda Lima não era atriz. Tentou ser e viu que não gostava. Eu não: eu gosto de ser atriz. Pode ser que eu conjugue as duas coisas porque estou adorando. Mas amo fazer teatro… Estou louca pra voltar com a minha peça, pensar no próximo espetáculo…”

“A idade da virada”

Falando nisso… “Estou fazendo uma série que roda na Amazônia [‘Gaia’, ao lado de Leandra Leal e Debora Falabella]. Quando o ‘PopStar’ estrear, estarei na Amazônia. Volto de lá para fazer o ao vivo. Isso vai acontecer duas vezes durante minha temporada lá. É bom que é perto… São muitos anos trabalhando, mas acho que agora estou numa idade que o leque vai abrir mais, sabe? Surgir novas coisas para eu experimentar, personagens mais maduros, uma proposta diferente como essa do ‘PopStar’… Acho que é a idade da virada”.

“Entre a loucura e a razão, fica difícil dizer não”

Além da série, Taís vai fazer a próxima novela das nove da emissora, também ao lado de Leandra. “Nessa última mudança de contrato, pedi pra colocar que agora só trabalho com a Leandra. Brincadeira, coincidência total, mas a gente adora porque se ama. Quando eu estava fazendo minha primeira novela na Manchete, ‘Tocaia Grande’, a mãe dela fazia minha madrinha. E aí eu chamava a Angela [Leal] de mãe. Quando recebi o convite para ‘Xica da Silva’ e não sabia o que fazer, a Angela me deu um cartão que tenho até hoje. Escreveu: ‘entre a loucura e a razão, fica difícil dizer não’. E a Leandra estava fazendo a primeira novela dela na Globo, ‘Explode Coração’. Somos amigas desde então. É muita intimidade. A gente se ama mesmo”.

Sobre a novela… “Não li nenhuma linha. Só falaram que era texto da Manuela Dias com direção do José Luiz Villamarim. Aí me joguei na hora sem saber nem nome de personagem. Trabalhei com ele quando cheguei na Globo, em ‘Anjo Mau’. Ele era um dos diretores. Depois nunca mais… Mas adoro o trabalho dele e da Manu”.