08.09.2020  /  14:45

Taís Araujo e Lázaro Ramos falam sobre a experiência de gravar ‘Amor e Sorte’: “Mudou o clima da gente aqui em casa”

Taís Araujo e Lazaro Ramos como Tabata e Cadu || Créditos: Globo

Taís Araujo e Lázaro Ramos formam um dos casais mais queridos da TV brasileira e não é à toa. Com quase 16 anos de casamento, a química entre os dois rola não só na vida real, mas também nas telinhas. Como não lembrar de Foguinho e Ellen, de ‘Cobras e Lagartos’, ou Michele e Brau, da série ‘Mister Brau’? A parceria entre eles em cena dá tão certo que eles vão repetir a dose na pele de Cadu e Tabata no especial “Amor e Sorte” , que narra histórias das relações durante a pandemia e estreia nessa semana na Globo. No programa Encontro com Fátima Bernardes, os atores contaram um pouco mais da experiência de gravar dentro de casa e revelaram o que a experiência mudou na percepção do casal em meio à quarentena: “Antes de gravar esse episódio, a gente estava super tenso na administração caseira, oscilando muito. Gravar o episódio e conviver com esse projeto, que falava sobre humor e amor, mudou o clima aqui em casa”, entregou Lázaro.

O ‘mix’ entre a ficção e realidade foi a receita perfeita para exercitar a paciência dentro de casa, principalmente com a convivência diária e intensa imposta pelo isolamento social: “O trabalho, de fato, foi importante para colocar as coisas no lugar novamente. A gente estava muito desorganizado emocionalmente. Foi importante para entender que não estamos nos nossos estados normais”, completou Taís.

Além da dinâmica entre marido e mulher, os atores, que são pais de João Vicente, de 9 anos, e Maria Antônia, de 5 anos, estão se desdobrando em casa para dar conta da educação dos filhos, já que as aulas presenciais continuam suspensas. E por falar em educação, o papo também girou em torno do incentivo à leitura: “Nossos filhos estão muito atentos à gente. Nosso hábito de leitura estimula. Minha filha me chamou atenção esses dias e falou assim: ‘eu não te vejo lendo’. E eu leio, mas, como todos nós, troquei os livros pelo celular. Meu momento de leitura é o momento que eles estão dormindo, e ela não vê”, justificou Taís.