12.04.2018  /  16:19

SP-Arte 2018 promete mais público, vendas e diversidade artística. Aos highlights!

Fernanda Feitosa está otimista com a SP-Arte 2018 || Créditos: Paulo Freitas

Galeristas, artistas, colecionadores e muitos admiradores. A SP-Arte 2018 é um dos grandes momentos das artes plásticas no Brasil agitando o mercado. Glamurama circulou pelos corredores da Bienal do Parque do Ibirapuera, onde acontece a feira e encontrou muitos glamurettes dispostos a dar aquela “olhada básica” nas obras expostas. Sempre que perguntados sobre possíveis compras, a resposta era a mesma: “Não, estou aqui para dar uma olhada e passear.” Apesar da afirmação, a expectativa é de crescimento nas vendas. Fernanda Feitosa, diretora e idealizadora da SP-Arte, está otimista. “Os anos anteriores foram difíceis para todos e isso se reflete no nosso mercado, mas a expectativa é sempre de melhorar e gerar mais negócios”, disse ao Glamurama. Ela ressalta que todos os anos a ideia é ter uma feira diferente, com obras e artistas que se renovam, que possam trazer novas experiências e conhecimento aos visitantes.

Para as colecionadoras Renata di Paula e Chris Bicalho, a SP-Arte renova energias e destacaa o que viram no evento. “As galerias trouxeram boas peças e achei o clima leve, com astral bacana. Parece que a sombra foi embora”, contou Chris. Já Renata afirmou que a feira é o retrato do Brasil que dá certo. “Você olha o noticiário e é só coisa ruim. O movimento da SP-Arte é lindo, muda o astral”, celebra.

Além da oportunidade poder ver de perto obras clássicas de artistas como Victor Brecheret, Tarsila do Amaral, Ai Weiwei, Alfredo Volpi, Di Cavalcanti… a SP-Arte é uma boa chance para conhecer novos artistas. Tulio Pinto, artista plástico destacado por Feitosa, levou a obra Vetoriais#5, feita com vidro e vigas de aço, criando diálogos e encontros de materiais de naturezas opostas. Vale dar uma passada no stand da Baró Galeria.

Como já é de praxe, logo no primeiro dia, algumas doações foram anunciadas. Renata di Paula doou a escultura Corpo Mole, de Marcelo Cidade, e o Iguatemi São Paulo um óleo sobre madeira de Patrícia Leite e uma obra em vídeo de Marcellus L. Todas para a Pinacoteca de São Paulo.

A SP-Arte 2018 vai até domingo das 13h às 21h, sendo que no domingo será de 11h às 19h. A entrada custa R$ 45,00. + sp-arte