18.12.2019  /  11:29

Só no mês passado, a queda na venda de iPhones na China foi de impressionantes 35%

Clientes da Apple fazem fila em loja da empresa em Jinan, na China || Créditos: Reprodução

O iPhone pode até ser o smartphone mais famoso e desejado em boa parte do mundo, mas na China está longe de ser uma unanimidade. A prova disso é que a demanda pelo principal produto da Apple por lá está caindo drasticamente mês após mês em um fenômeno que começou a tomar forma há mais de um ano, segundo um relatório elaborado pela empresa de investimentos americana Rosenblatt Securities.

Só em novembro, a queda registrada foi da ordem de 35% e, de acordo com o pessoal da Ronseblatt, a produção de toda a nova linha de iPhones 11 voltada exclusivamente para o mercado chinês sofrerá um corte de 60% em 2020, quando o número de usuários da rede ultra-rápida 5G deverá chegar a 110 milhões no país asiático.

Apenas cinco empresas vendem sistemas 5G para operadoras atualmente, são elas: Nokia (finlandesa), Samsung (sul-coreana), Ericsson (sueca), ZTE (chinesa) e Huawei (também chinesa). Essa última responde por 42% das vendas de celulares na China, com base em dados coletados no último mês pelo Credit Suisse. Já a fatia da Apple nesse caso é de apenas 5% (não faz muito tempo, era 7%). (Por Anderson Antunes)