25.05.2018  /  9:00

Silvio de Abreu como poderoso chefão: “Estou me achando bastante útil”

Silvio de Abreu || Créditos: Divulgação

Silvio de Abreu, diretor de dramaturgia da Globo, não escreve mais novelas, desde que assumiu o posto “executivo”. “Se a gente faz o que gosta, qualquer trabalho é bom. Estou fazendo o que gosto, no espaço que eu gosto, lidando com pessoas que amo, contando histórias. Não estou escrevendo, mas estou revendo, lendo… Tenho um prazer muito grande. Não sinto falta de escrever uma novela minha, mas nunca mais vou escrever? Não sei. Não planejei o que estou fazendo hoje e também não vou planejar o que vou estar fazendo amanhã. Vou fazendo. E estou muito satisfeito, me achando bastante útil dentro da empresa”.

 

“A minha preocupação maior era com o emprego das pessoas”

 

Dizem que Silvio privilegia veteranos. Pelo menos entre autores, ele se defende: “Eu revelei muitos autores. Era uma coisa que me preocupava muito, revelar autores… porque se não tivermos novos autores, a novela acaba. A semente está ali. É importante ter novos autores e é uma coisa que não aparecia há muito tempo. Consegui revelar 17 desde que estou aqui nessa função e estou superfeliz com isso. Isso é muito útil para a TV Globo e para todos nós que vivemos de fazer novela. Novela não é só pra dar prestigio pra TV Globo. Novela dá emprego pra muita gente. A minha preocupação maior era com o emprego das pessoas. Termos onde trabalhar, o que fazer… E poder viver do trabalho”.

 

“Não sou impositivo”

Faz parte das funções de Silvio orquestrar a escalação de atores para todas as novelas e séries da casa. Como não dá para agradar todo mundo… “É a mesma coisa que eu fazia quando escrevia novela, igual. Eu escrevia e via qual era o ator mais adequado”. Mas agora tem mais poder, né, Silvio? “Não é que é mais poder, é diferente… E eu escuto o diretor e o autor. Não sou impositivo: gosto de escutar. Já aconteceu de eu achar uma escalação estranha e no final ser um sucesso. A gente tem que respeitar a cabeça do autor, do diretor. Estou aqui mais pra coordenar”.

“O povo tem que querer ver outra vez”

E se ele não escreve mais, nada melhor para o telespectador do que matar saudade do seu estilo no “Vale a Pena Ver de Novo”. A boa notícia é que “Belíssima” vai ser reprisada, substituindo “Celebridade”, um sucesso na época que não foi nada bem na reapresentação. O que Silvio leva em consideração ao decidir que novela vai para o “Vale a Pena”? “A audiência, a contemporaneidade da história, o elenco que não está em outras produções – nem sempre a gente consegue … Essa tem o Vladimir Brichta, que está no ar em ‘Segundo Sol’. O povo tem que querer ver outra vez… Mesmo assim, novelas que fizeram muito sucesso na época, no Vale a Pena às vezes não vão bem…”

E “Belíssima”… “Além de muito prazeroso, foi um enorme sucesso. Claro que a gente não vai fazer o mesmo sucesso que fez naquela época. Essa novela estreou com 54 pontos e deu de média 49 pontos de audiência. Depois disso, as novelas decresceram. Agora começaram a subir novamente…”

 

“É o país que não muda”

 

Sobre a trama ser tão atual… “Vou dizer uma coisa que o Plínio Marcos falava: ‘Não é que minhas peças são contemporâneas, é o país que não muda’. A gente fez essa novela há 13 anos e nós estamos passando pelos mesmos problemas que a gente tinha, de uma outra forma. ‘Belíssima’ poderia ser mais retrógrada, se o país tivesse melhorado. Infelizmente só piorou de lá pra cá, então a novela fica mais contemporânea ainda”.

 

Profético

 

Sobre uma das “apostas” de Silvio em “Belíssima”… “Depois de um mês de novela no ar, eu falei pra Marina Ruy Barbosa: ‘Você vai ser uma grande estrela’. E ela: ‘Você acha?'” Que faro, hein! (por Michelle Licory)