18.07.2020  /  9:00

Sidney Magal conta sobre documentário e filme sobre sua vida amorosa: “Poucas pessoas tiveram um amor à primeira vista tão à primeira vista como o meu”

Sidney Magal / Crédito: Reprodução Instagram/ Marcos HermesCom 55 anos de carreira, Sidney Magal segue em fase de vento a favor, inclusive com projetos além da música. E quem diria: o cantor, que completou 70 anos no meio da pandemia, revelou que muitos não acreditavam no seu sucesso no início de sua carreira. “Eu era um artista chamado de brega e cafona. Muita gente achava que eu não passaria do primeiro álbum”, contou em live do Canal Brasil.

Com canções inesquecíveis, que são garantia de muito fervo em qualquer festa ou show, como “Sandra Rosa Madalena” e “Meu Sangue Ferve Por Você”, Magal está prestes a apresentar para os fãs seus novos projetos: um documentário e um filme. Com estreia prevista para outubro, o documentário reúne arquivos de TV e gravações inéditos do cantor.

“O documentário está pronto e será lançado ainda esse ano. Nele terá um compilado de arquivos com minha história desde o começo. Infelizmente minha netinha, Madalena, acabou não aparecendo porque, no último dia das gravações, ela teve uma alergia muito forte. Mas tem imagens de tudo, até de quando eu era bem pequenininho. Fala das minhas dublagens, das novelas, dos musicais, da minha vida toda. Me emocionei muito assistindo o resultado”, revelou o eterno ‘amante latino’.

De quarentena ao lado da família na Bahia, Sidney está ansioso também para o filme, ainda sem data de estreia devido à pandemia do novo coronavírus. Diferente do doc, o longa, com previsão de estreia em 2021, é focado na história de amor entre o cantor e Magali, com quem se casou em 1982. Os papéis principais já estão definidos: José Loreto interprerá Sidney Magal e Giovanna Cordeiro será Magali.

O cantor fez questão de se lembrar como foi o momento em que conheceu sua esposa: “Encontrei a Magali quando ela tinha 16 anos, no meio de várias meninas que estavam em um concurso de beleza. Quando a vi, sabia que precisava falar com ela. Era como se uma voz me dissesse: ‘tá vendo aquela moça ali? Ela é a mulher da sua vida’. Naquele dia não consegui, mas no dia seguinte falei com ela e falei que precisava fazer uma confissão. Na hora, chorei bastante e depois tentei convencer a Magali de que ela era o amor da minha vida, que nos casaríamos e viveríamos juntos para sempre”.

Juntos há mais de 40 anos, o cantor adora frisar que essa foi uma história de amor à primeira vista como poucas: “Me orgulho de ter vivido essa história. Poucas pessoas tiveram um amor à primeira vista tão à primeira vista como o meu. E o amor, para mim, está acima de qualquer coisa”, finaliza.