07.04.2016  /  11:03

Sheron Menezes, dama em trama de época: “Antes só podia ser escrava”

Sheron Menezes: muito além do papel de escrava || Créditos: Leo Marinho
Sheron Menezes: muito além do papel de escrava || Créditos: Leo Marinho

Sheron Menezes vive algo completamente diferente em “Liberdade, Liberdade”, novela das onze da Globo, que estreia nesta segunda-feira e começa em 1792 para contar a história de Joaquina, filha de Tiradentes. “Era comum ter negros livres na Europa. Quando minha personagem vem para o Brasil, junto com a família real, toma um choque. E uma negra vestida como dama? Os escravos não entendem, ninguém no Brasil entende. Ela acha isso estranho. E se incomoda por não ter ninguém igual a ela por aqui. Então, vive um conflito. Até que se apaixona por um homem cego, que depois descobre que ela é negra…”

O figurino ganhou o coração da atriz. “Ela usa roupas lindas. Estou adorando. Antes em novela de época eu só podia ser escrava. Então nunca tinha vestido nada assim”. Claro que o preconceito acabou virando assunto. “Sou otimista. Acho bacana que eu hoje possa estar nesse lugar de musa e quem está incomodado com isso em 2016 tem que se tratar. O mundo mudou. Mas ainda temos que melhorar, com certeza. Como pessoa pública, tenho obrigação de me posicionar. Claro que já vivi o racismo, a discriminação. Tenho meus direitos como cidadã e o poder da celebridade para lutar por quem não tem voz”. (por Michelle Licory)