Sex and the City: Como estão os closets de Carrie, Miranda e Charlotte sem o styling da figurinista Patricia Field?

24 Compartilhamentos
23
0
1
0
0
0
Sex and the City – o estilo das melhores amigas no reboot || Créditos: Divulgação

“Sex and the City” surgiu em 1998 e transformou o guarda-roupa de uma geração inteira. As protagonistas Carrie Bradshaw (Sarah Jessica Parker), Samantha Jones (Kim Cattrall), Miranda Hobbes (Cynthia Nixon) e Charlotte York (Kristin Davis) ditaram tendências, quebraram regras e colocaram no mapa marcas que hoje figuram entre as queridinhas das fashionistas. Todo esse impacto na moda tem uma responsável: Patricia Field, a figurinista da produção durante as seis temporadas e os dois filmes da trama.

Não é exagero dizer que o nome de Patricia ficou tão conhecido quanto o das quatro atrizes – pelo menos no universo fashion -, uma vez que seus figurinos e os estilos individuais que criou para cada protagonista a alçou ao estrelato. No entanto, com o reboot “And Just Like That” (HBO Max), ainda sem data de estreia, as amigas voltam às telinhas estilizadas por Molly Rogers, pupila de Field, que está em Paris imersa nos preparativos para a segunda temporada de “Emily in Paris”.

Acontece que Rogers já chegou dando um susto nos fãs da série. Quando as filmagens começaram, no início de julho, em Nova York, Carrie apareceu sem suas clássicas it-bags de luxo e usando uma ecobag da estação de rádio americana ‘WNYC’ (não se preocupe, logo em seguida sua bolsa icônica estilo baguete da Fendi foi vista pelos sets). O que mais mudou no estilo das melhores amigas?

Sex and the City – o estilo de Carrie, Miranda e Charlotte no início dos anos 2000 || Créditos: Divulgação

Sem a participação de Kim Cattrall, a Samantha, Carrie continua comprometida com o maximalismo. A personagem, que era a própria definição de ícone da moda, sempre teve um estilo inconfundível – mérito de Patricia Field – e a responsável pela criação do conceito high-low. Quem lembra da célebre frase: “Eu preciso de um vestido de 5 dólares para combinar com meus sapatos de 500”? Foi ela quem deu o pontapé inicial à tendência de misturar marcas de luxo com peças mais “em conta” que não foi esquecida.

Se nos anos 2000, Miranda Hobbes não era o membro mais fashion do grupo, hoje, ironicamente, muito do que a personagem vestia naquela época está em alta. Nas primeiras temporadas, seu guarda-roupa era basicamente composto por macacões, moletons, óculos escuros divertidos e jaquetas puffer (alguma coincidência com a última coleção da Balenciaga?). Nas temporadas seguintes, o closet de Miranda cresceu e ela passou a usar vestidos estampados, blazers e peças coloridas, mas peças sempre práticas. Para o reboot, o visual da advogada segue mais discreto do que o das amigas, porém com um ar mais “moderninho”.

Por último, mas não menos importante, Charlotte York que tinha, sem dúvida, o estilo mais feminino da turma. As palavras-chave para o styling da princesa do Park Avenue são: clássico e preppy. Sofisticada, sempre com jaquetas feitas sob medida, vestidos femininos e muito rosa, ela  segue fã de estilistas como Ralph Lauren, Prada e Oscar de la Renta. O segredo? Seus conjuntos sempre terminam com um elegante par de brincos de pérola ou óculos escuros clássicos.