18.08.2020  /  11:19

Serviços de mensagens do Messenger e do Instagram podem ser unificados. Vem saber!

Mark Zuckerberg || Créditos: Reprodução

Enquanto todo mundo segue falando sobre a pandemia, o Facebook começa a promover discretamente nos Estados Unidos algo que já estava há tempos na mente de seus executivos: a fusão dos serviços de mensagens instantâneas do Messenger com os do Instagram. Um teste nesse sentido foi feito no país no último fim de semana, com o oferecimento de tal funcionalidade para certos usuários selecionados de lá. O resultado, ao que parece, foi positivo, mas como de costume o gigante das redes sociais não comenta nada a respeito e tudo o que se sabe sobre o assunto é por meio de fontes de indústria.

No ano passado, Mark Zuckerberg – cofundador e CEO do Face – anunciou que trabalhava na unificação de certas infraestruturas de seus serviços de mensagens mais populares, a fim de torná-los mais eficazes e seguros mas também para evitar concentrações de mercado. O anúncio, por sinal, foi feito na mesma época em que órgãos reguladores dos EUA mencionaram a possibilidade de quebrar o suposto monopólio da empresa, que concentra mais de 4 bilhões de usuários ativos em todas as suas plataformas e praticamente não tem concorrentes.

Como Glamurama contou recentemente, Zuck se tornou um dos únicos três centibilionários do planeta graças à disparada da ação do Facebook na bolsa eletrônica NASDAQ, já que a quarentena resultou em mais usuários de internet online por mais tempo, o que é música para os ouvidos do bilionário de 36 anos. A propósito, os outros dois centibilionários são Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon, e Bill Gates, cofundador da Microsoft e dono da holding de investimentos variados Cascade Investments, que hoje em dia concentra a maior parte de sua riqueza. (Por Anderson Antunes)