Série da semana: “O Paraíso e a Serpente”, que conta a história do serial killer Charles Sobhraj, com Tahar Rahim no papel principal

6 Compartilhamentos
6
0
0
0
0
0
“O Paraíso e a Serpente”, da Netflix / Crédito: Instagram

Não é de hoje que a vida de serial killers despertam a curiosidade das pessoas e se tornam filmes ou séries de sucesso. Dessa vez, a Netflix foca na história do vigarista e assassino Charles Sobhraj, que cometeu vários crimes no sudeste da Ásia ao longo dos anos 1970, na minissérie “O Paraíso e a Serpente”, que estreou este mês no serviço de streaming.

No papel de Charles Sobhraj está Tahar Rahim, ator mezzo francês mezzo argelino que é um dos novos queridinhos do pedaço: “Normalmente começo a construir um personagem por dentro. Tento encontrar pontes psicológicas entre mim e ele, mas aqui não havia nada. Pessoas normais, pessoas equilibradas, não sabemos o que é não ter empatia. Ele é um assassino, um manipulador. Ele é o que você não quer ser”, contou Rahim em entrevista. A solução era começar pelo lado exterior: “Aqueles que o conheceram falaram sobre como ele se movia e falava, e comecei a montar o quebra-cabeça. Pensei nele como um animal. Claro, uma serpente. Ele encara você. Então bum! – ataca”. No decorrer da trama é revelado o modus operandi do assassino que aplicou golpes por vários anos em mochileiros. Seus crimes envolviam roubar pertences, identidades e passaportes, em seguida, descartá-los. A história de Charles é contada aos poucos, em oito episódios.

Neles, é possível perceber as táticas utilizadas pelo serial killer e como ele conseguia manipular tantas pessoas, inclusive sua própria namorada, a canadense Marie-Andrée Leclerc (Jenna Coleman). É importante dizer que a história não é contada de maneira linear, mas nem por isso a trama fica confusa.

A todo momento, os acontecimentos do passado, presente e futuro são exibidos com a data e a informação de “anos antes” e “anos depois”, situando o público dentro da história. Em todos os episódios, um avisto aparece indicando que diálogos e nomes reais das vítimas são fictícios para respeitar aqueles que foram assassinados e suas famílias.

Fato é que ‘O Paraíso e a Serpente’ é uma ótima pedida para quem curte histórias de investigação, que tentam desvendar a mente de serial killers, daquelas que prendem quem assiste do começo ao fim. Para entrar no clima, confira o trailer: