02.09.2016  /  11:28

Segundo investigação, Banksy pode ser Robert Del Naja, do Massive Attack

60864300
Será Banksy Robert Del Naja? || Créditos: Getty Images

A caça à verdadeira identidade de Banksy teve nova reviravolta nessa quinta-feira, depois que o jornalista investigativo Craig Williams afirmou que o artista é membro do duo Massive Attack. A estrela anônima do grafite pode ser Robert ‘3D ‘ Del Naja, membro fundador da banda, que é de Bristol, na Inglaterra, cidade natal também de Banksy. Williams investigou murais grafitados por Banksy em todo o mundo e disse que em pelo menos seis ocasiões, mais de uma dúzia deles apareceu um pouco antes ou depois dos shows do Massive Attack nas mesmas cidades ao longo dos últimos 12 anos. Del Naja era um artista de grafite na década de 80 e já chegou a falar que é amigo de Banksy. Mas, para o jornalista, ele pode ser o próprio.

Em 2008, foi divulgado pelo “Mail on Sunday”, que a real identidade do artista era de Robin Gunningham. Suposição na qual, depois de analisarem suas obras, cientistas e pesquisadores também acreditam. Mas agora, o  jornalista Craig Williams afirma que o artista pode ser Del Naja, ou talvez uma equipe de pessoas lideradas por ele e ligadas ao Massive Attack. Quando questionado sobre a outra possível identidade de Banksy, a de Robin Gunningham, Williams, sugere: “E se Banksy não for uma única pessoa como todo mundo acha que ele é. E se Banksy é um grupo de pessoas que têm agido em locais diferentes, tanto em casa [Inglaterra] como no exterior? Essa organização rica de trabalhos feitos ao longo de uma década.”

Banksy ganhou fama no final dos anos 1990, quando seu stencil provocativo começou a ser reconhecido. Em momento semelhante, o Massive Attack lançava seus álbuns “Blue Lines” e “Mezanine”. De acordo com a investigação de Craig, seis murais de Banksy foram relatados em San Francisco no dia 1º de maio de 2010, após a banda em turnê, ter passado duas noites na cidade, em 25 e 27 de abril. Uma semana depois, o Massive Attack se apresentou em Toronto, antes de mais novos grafites aparecerem por lá. Mais tarde, coincidências semelhantes se repetiram em Boston, Los Angeles e New Orleans. Em abril de 2003, foi a vez de Melbourne na Austrália e em 2013, Nova York.  Neste sábado, a banda volta para casa para um show em Bristol. Será que uma nova obra de Banksy vai aparecer por lá também? Craig acredita que sim.

Confira alguns grafites de Banksy pelo mundo